Tradição católica em expansão na América Latina

0
stocksnap.io

Ascensão do tradicionalismo católico na América Latina em detrimento do progressismo e protestantismo, sobretudo entre os jovens

A ascensão do tradicionalismo católico na América Latina, enraizada na missa latina, está rapidamente revertendo a longa marcha do progressismo e protestantismo. Consideráveis mudanças sociais, econômicas e culturais são atribuídas ao resgate da tradição católica, principalmente entre os jovens. O avanço do progressismo na Igreja tem servido para abrir os olhos de muitas pessoas nas profundezas do mundo, afirma Juan Migel Montes, diretor de Tradição, Família e Propriedade (TFP).

“Vemos que igrejas e seminários com orientação tradicional estão cada vez mais cheios, especialmente entre os jovens, enquanto os de orientação progressiva estão cada vez mais vazios”, disse Montes, em Roma, ao Church Militant.

“O tradicionalismo católico está de volta à moda”, afirmou Montes. “Isso explica a derrota que a esquerda está sofrendo nas urnas em todos os lugares, pois as realidades sociais, políticas e culturais ligadas a uma ideia tradicional do catolicismo estão se multiplicando em todos os lugares”.

“Em Roma, como nas principais dioceses sul-americanas do Rio, São Paulo, Buenos Aires, Bogotá, Lima e Santiago, as missas no Vetus Ordo [rito antigo] estão crescendo rapidamente”, disse ele.

“Eles estão cheios de meninos e meninas e famílias jovens. Eles não me parecem pessoas azedas ou, de acordo com uma certa caricatura.” Montes estava aludindo ao discurso de Natal do Papa Francisco à Cúria, no qual muitos acreditavam que ele considerava os católicos tradicionalistas “rígidos” e “desequilibrados”.

O chefe do departamento de Roma da TFP, organização fundada por Plinio Corrêa de Oliveira no Brasil em 1960, atribuiu as derrotas políticas dos esquerdistas e alguma violência e ilegalidade resultantes – como ocorreu na Venezuela – ao “crescimento indiscutível do catolicismo tradicionalista na América do Sul” , especialmente entre os jovens “.

Em um artigo de primeira página do jornal italiano II Giornale , Montes elaborou o surto no movimento tradicionalista católico:

“Os blogs de direita estão se multiplicando, animados por jovens e muito jovens, com milhões de seguidores. Novos grupos políticos e culturais de orientação conservadora estão surgindo. As conferências online de orientação tradicionalista estão ganhando notoriedade. Lojas de roupas modestas estão se espalhando, em contraste aberto com a moda imoral ou extravagante de hoje. Após décadas de monopólio cultural virtual da esquerda, mais e mais livros estão sendo publicados e mais e mais conferências na área de centro-direita”

“Às vezes, o fenômeno pode até ser deslumbrante. Por exemplo, pesquisas mostram 37% dos brasileiros a favor da restauração da monarquia brasileira”, disse Montes.

O Church Militant perguntou se o Sínodo da Amazônia poderia realmente provocar um crescimento ainda maior do catolicismo tradicional. Montes disse que, ironicamente, o avanço do progressismo na Igreja – como é visto na chamada ” teologia indiana “, que tem uma pegada marxista e uma veneração sustentada pelos ídolos de Pachamama – está servindo para abrir os olhos de muitas pessoas nas profundezas do mundo.

Pregação de esquerda = protestantismo alimentado

Montes, de fato, atribui a ascensão do protestantismo a uma longa história de “pregar nos púlpitos, com sotaques diferentes, da teologia da libertação. O ressurgimento do tradicionalismo entre os fiéis”, disse ele, é provavelmente o “resultado do ‘conseqüências não intencionais de ações intencionais’, que as pessoas comuns zombam da expressão ‘o diabo faz panelas, mas não tampas’”.

Montes destaca que o papa Pio XII chamou a América Latina de “continente de esperança”. Até alguns anos atrás, a porcentagem de católicos excedia em abundância 90%. Hoje, no entanto, estamos passando por um período de tribulação com muitas pessoas que foram às seitas protestantes por causa do pouco discurso religioso e muito político da teologia da libertação na Igreja Católica, um fenômeno claramente denunciado por Bento XVI, em uma das viagens ao Brasil.

Mas a esperança permanece e um ressurgimento do catolicismo é percebido especialmente, como mencionado acima, em círculos juvenis com tendência conservadora ou tradicionalista.
Esse fenômeno não ocorre nos círculos católicos tradicionalistas, onde a evangelização segue o preceito de Nosso Senhor de “buscar primeiro o reino dos Céus e todas essas coisas serão concedidas a você”, explicou Montes.

Apesar de ter “sensibilidade litúrgica” diferente, ele disse que numerosos grupos da Igreja hoje “se movem decisivamente em busca da tradição” em todos os campos da vida:

“Na vida de piedade, praticam devoções tradicionais, especialmente a mariana, e não têm medo de se apresentar para o que são, católicos conservadores, mesmo da maneira como se vestem. Na política, eles estão cada vez mais exigindo dos candidatos os princípios inegociáveis pregados por Bento XVI, ou seja, a defesa da vida desde a concepção até a morte natural, a família fundada na união de duas pessoas de sexo diferente e o inviolável direito dos pais de escolher a educação para seus filhos”.

Católicos fiéis podem corrigir deriva que ocorre dentro da Igreja. Seja por meio de formas de devoção, oração, como de testemunho católico, em harmonia com o Magistério tradicional da Igreja. Tudo isso foi gradualmente abandonado e às vezes negado explicitamente, afirma Montes.

Necessidade extrema de evangelizar

Em setembro, o Bp. José Luis Azcona, bispo emérito da Prelazia Marajó na região amazônica de Belém do Pará, Brasil, anunciou: “A Amazônia, pelo menos a parte brasileira, não é mais católica”, porque possui uma maioria pentecostal que , em algumas regiões “, atinge 80%”.

“Sob o pretexto de ‘diálogo intercultural’, os missionários católicos não mais evangelizam ou batizam”, lamentou. “No entanto, os evangélicos evangelizam e trabalham muito. De fato, enquanto os missionários católicos conversam com os índios sobre ‘desmatamento’ , ‘mudança climática’ e ‘ecologia integral’, os pastores protestantes visitam suas comunidades com a Bíblia na mão”, disse o Bp Azcona.

Gabriel Klautau Miléo, criador do site Salve Roma, confirma as recuperações feitas pelo tradicionalismo católico. No Twitter , ele publica fotos de igrejas da Missa Latina cheias de jovens.

“Todas as fotos … foram tiradas em Belém do Pará, um dos principais centros urbanos da região amazônica”, escreve ele. “Vários amigos meus e suas famílias voltaram ao catolicismo [re] descobrindo o rito tradicional da Igreja”.

“É disso que a Amazônia realmente precisa”, observa ele. “Já temos o apostolado da Missa Tridentina nos dois principais centros urbanos da Amazônia brasileira [Belém e Manaus] e em uma cidade do interior do estado do Pará [Santarém]”.

Tradição estimula vocações

O arcebispo Alberto Taveira Correa, que dirige a arquidiocese de Belém do Pará, confirma que em seus 10 anos como arcebispo, ele pode testemunhar o “crescimento das vocações” em sua própria diocese e em outros.

O tradicional Instituto Católico Bom Pastor ( Instituto Bom Pastor ) do Brasil também está relatando um boom vocacional, pois seus “membros querem exercer o sacerdócio na Tradição doutrinária e litúrgica da Santa Igreja Católica Romana, fiel ao infalível Magistério da Igreja com o uso exclusivo da liturgia gregoriana na celebração digna dos Santos Mistérios”.

Montes concorda que é impossível prever o futuro imediato. “No entanto, a ascensão de um poderoso movimento na opinião pública católica tradicional nos permite ter muitas esperanças”, afirma. “Essas esperanças também se baseiam nas promessas de Nossa Senhora que, em Fátima, proclamou o triunfo do seu Imaculado Coração, após um período de tribulação”.

Fonte: Templário de Maria; Church Militant; Ilgiornale

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui