Testemunha descreve ‘pico’ de 570.000 votos para Biden

0
Foto: John Minchillo, AP

Testemunho bombástico na audiência da Pensilvânia surpreende público

Em uma audiência pública realizada em 25 de novembro entre legisladores da Pensilvânia e a equipe de campanha do presidente Trump, uma testemunha deixou o público boquiaberto ao descrever “picos” na contagem de votos na noite da eleição, nos quais Joe Biden ganhou 570.000 votos contra os 3.200 do presidente.

Os picos na Filadélfia e em Pittsburgh aconteceram depois que Trump manteve a liderança de cerca de 700.000 votos. A contagem oficial terminou com uma vantagem de Biden de cerca de 80.000.

Trump convocou a reunião do Comitê de Política da Maioria do Senado da Pensilvânia sobre “questões eleitorais e irregularidades”, declarando que “venci esta eleição de lavada, obtivemos 74 milhões de votos”.

A testemunha explicou ao advogado pessoal do presidente, Rudy Giuliani, que normalmente “você veria uma curva suave subindo”, registrando a contagem de votos em andamento

Consequentemente, disse ele, um “grande pico” seria um “indicador principal de votação fraudulenta”.

“E isso são 604.000 votos em 90 minutos? Certo?” Giuliani perguntou à testemunha.

“Correto. Isso é 337.000 votos naquele período de tempo”, disse ele.

Giuliani então perguntou: “Quando você olha para essa curva com todos esses picos, é possivles calcular quantos votos representaram Biden e quantos foram para Trump?”

“Perto de 600.000 … acho que nossos números eram cerca de 570-alguns-mil”, respondeu a testemunha.

“E quanto por Trump?” Giuliani o seguiu.

“Acho que foi um pouco mais de 3.200”, disse ele, surpreendendo todos.

Em 25 de novembro, uma juíza da Pensilvânia bloqueou a certificação dos resultados da eleição até que seu tribunal realizasse uma audiência no dia 27 novembro, sexta-feira, em um caso movido por legisladores e candidatos republicanos.

O governador democrata da Pensilvânia, Tom Wolf, anunciou em 24 de novembro que tinha certificado os resultados eleitorais, agradecendo aos funcionários eleitorais “que administraram uma eleição justa e livre durante um período incrivelmente desafiador em nossa comunidade e na história do país”.

Outra testemunha, Gregory Stenstrom, um ex-comandante da Marinha que se descreveu como cientista de dados, cientista da computação forense e especialista em segurança e fraude, disse ter observado cartões USB sendo carregados para máquinas de votação pelo supervisor do armazém em várias ocasiões.

“Essa pessoa não está sendo observada, ela não faz parte do processo que eu posso ver e ela está entrando com saquinhos de USBs”, disse Stenstrom, que disse ser residente do Condado de Delaware, Pensilvânia.

Ele disse que 47 USBs desapareceram, e que a votação não foi atualizada em tempo real, mas sim uma vez a cada duas ou três horas.

“Eu exigi que eles carregassem a votação para que eu pudesse ver qual foi o resultado”, disse ele.

Enquanto isso, uma análise do padrão de voto da organização sem fins lucrativos Vote Integrity Project encontrou “picos de votação” semelhantes nas primeiras horas da madrugada da eleição em Michigan, Wisconsin e Geórgia.

Ele concluiu que “algumas atualizações de votação importantes em estados competitivos eram incomumente grandes em tamanho e tinham uma proporção de Biden para Trump incomumente alta.”

“Demonstramos que os resultados diferem o suficiente dos resultados esperados para ser motivo de preocupação.”

Fonte: wnd.com

Veja o Testemunho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui