Templo Satânico processa empresa que recusa exibir outdoors de ‘rituais’ de aborto

0

A ação foi movida pelo Satanic Temple, com sede em Salem, Massachusetts

Uma ação movida pelo Satanic Temple, com sede em Salem, Massachusetts, processou uma empresa de publicidade por recusa em exibir oito outdoors de “rituais” de aborto perto de centros de gravidez pró-vida em Arkansas e Indiana. O grupo acusou a empresa de discriminação religiosa.

O Satanic Temple anunciou em 30 de setembro que abriu o processo junto ao tribunal estadual de Arkansas contra a Lamar Advertising.

O grupo afirma ter enviado cinco projetos a Lamar para serem exibidos perto de centros de gravidez em crise. Em uma das imagens, uma tigela de massa de bolo é mostrada com o texto “não é um bolo”, ao lado de uma imagem de um espermatozóide e óvulo com o texto “não é um bebê”. É acompanhado por um texto que diz: “Nosso ritual de aborto religioso evita muitas restrições estaduais”.

Lamar rejeitou os outdoors e disse que seu conteúdo era “enganoso e ofensivo”, de acordo com o processo.

“Embora seja compreensível se preocupar em forçar uma entidade privada a se envolver em um discurso ou a fazer objeções, este cenário é diferente”, disse Lucien Greaves, co-fundador do templo satânico, em um comunicado à imprensa. “Lamar inicialmente concordou em trabalhar conosco e sua rejeição parece ter base religiosa. Além disso, eles têm um monopólio virtual em certas regiões. Desta forma, Lamar é capaz de regular o discurso público e eles não têm permissão para excluir seletivamente as vozes religiosas às quais se opõem. ”

Ao lançar sua campanha em agosto, o templo satânico, que é reconhecido como uma organização religiosa, postou um vídeo no YouTube, explicando como planejava usar as Leis de Restauração da Liberdade Religiosa em seu favor para que mulheres que buscam o aborto pudessem renunciar ao aconselhamento, “evite ver a imagem do ultrassom de seu bebê ou ouvir seus batimentos cardíacos e se recuse a ter os restos mortais de seu bebê cremado ou enterrado”.

O vídeo afirmava que a Lei de Restauração da Liberdade Religiosa dos EUA “geralmente proíbe o governo de interferir no livre exercício religioso de uma pessoa”, incluindo “a realização de rituais religiosos”. O Templo Satânico proclamou que seus rituais religiosos incluíam o aborto, que segundo ele “fornece conforto espiritual e afirma a autonomia corporal e a autoestima”.

“Nos estados que promulgaram a Lei de Restauração da Liberdade Religiosa, os abortos praticados religiosamente estão isentos de requisitos legais que não são clinicamente necessários”, afirmou o templo satânico no vídeo. O grupo acrescentou que “fará tudo o que puder para garantir que os estados protejam os direitos religiosos de nossos membros de obter abortos no primeiro trimestre sob demanda”, de acordo com a visão de que “você mesmo é o seu senhor”.

Com informações: boston.com e contrafatos

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui