Será Kamala Harris a futura presidente comunista dos Estados Unidos?

0

O perfil comunista militante de Kamala Harris

Pode o leitor pensar que houve um equívoco no título, uma vez que em 20 de janeiro Kamala Harris será empossada apenas como vice-presidente dos Estados Unidos, e não como presidente. Mas, no discurso que Donald Trump realizou em Alamo, na fronteira com o México, ele advertiu que Kamala poderá depois assumir como a primeira presidente, mediante a invocação da Emenda 25, que permite o afastamento do titular da presidência se o mesmo não tiver condições de saúde para o exercício do cargo.

Joe Biden apresenta sinais iniciais de demência senil, por isso mesmo teve presença muito discreta na campanha eleitoral. O que surpreende e desconcerta é a sagacidade com que foi preparada essa sucessão de modo a colocar uma notória militante de índole comunista à frente de um país cuja opinião pública é notadamente conservadora e cristã.

Donald Trump num programa da Fox Business Network descreveu Kamala como uma comunista: “Ela está à esquerda de Bernie Sanders!”. De fato Kamala é mais radical do que Sanders ou Elizabeth Warren. “Por que é que ninguém, a não ser o Presidente, apontou as conexões comunistas de Kamala Harris? Ela deve toda a sua carreira a simpatizantes ou a contribuições vultosas do Partido Comunista Chinês”. Este questionamento foi feito pelo jornal norte-americano The Epoch Times, que em matéria postada em outubro de 2020 tratou dessa questão. Vamos a seguir apresentar os posicionamentos e as ligações que fazem parte da biografia de cariz comunista de Kamala.

*

Os pais de Kamala eram esquerdistas radicais. O pai em 1975 se tornou professor marxista declarado no Departamento de Economia da Universidade de Stanford em Palo Alto, CA. Ambos os pais de Kamala participaram ativamente nos anos 1960 na Associação Afro-Americana com sede em Berkeley. Fidel Castro e Che Guevara foram os heróis dessa associação. O líder do grupo, Donald Warden (aliás Khalid al-Mansour), foi o mentor de dois jovens membros da Associação Afro-Americana, Huey Newton e Bobby Seale. Ambos criaram em 1966 o Partido dos Panteras Negras, de inspiração maoísta, que ganhou forte apoio da China comunista e serviu de modelo para a criação da organização marxista Black Lives Matter. Mais tarde, Khalid al-Mansour conseguiu os meios financeiros para facilitar a matrícula de Barack Hussein Obama na Faculdade de Direito de Harvard.

Após sua formatura na faculdade, Kamala Harris voltou para a Califórnia e aos 30 anos tornou-se amante de Willie Brown Jr. Presidente da Assembleia da Califórnia, casado, de 60 anos. As campanhas políticas de Brown foram apoiadas e financiadas pelo Dr. Carlton Goodlett, dono do The Sun Reporter e de vários outros jornais pró-comunistas. Brown foi eleito prefeito de San Francisco e apoiou fortemente a filosofia política marxista de Harris. Guiou a carreira política dela na política da Califórnia, até a eleição dela como Procuradora Geral da Califórnia. Willie Brown, Jr. desde há muito tempo foi um conhecido simpatizante comunista. E foi inicialmente eleito para um cargo público com a ajuda substancial do Partido ComunistaChinês, do qual até hoje é considerado um dos melhores amigos na região.

Enquanto trabalhava como promotora distrital de São Francisco, Kamala Harris foi mentora de uma jovem ativista radical maoísta de São Francisco, Lateefah Simon, que era membro do Movimento Revolucionário Storm; Simon atualmente atua como presidente da esquerdista Fundação Akonadi e preside o Conselho de Trânsito Rápido da Área da Baía (BART) de São Francisco. Lateefah sempre foi amiga íntima de Alicia Garza, fundadora do Black Lives Matter – o movimento terrorista marxista – bem como de Van Jones, membro do Storm e comunista declarado. Por sua vez, Garza é amiga de longa data e associada ao camarada do LeftRoots, Alex Tom, um homem com laços estreitos com a radical Chinese Progressive Association e com o Consulado Chinês em San Francisco. Kamala tem apoiado abertamente o movimento de inspiração marxista Black Lives Matter; e ainda está intimamente associada à maoísta Lateefah Simon e à marxista Alicia Garza.

A irmã de Kamala Harris, Maya Harris, era uma ativista estudantil na Universidade de Stanford. Estava intimamente associada com Steve Phillips, um dos principais marxistas-leninistas do campus e filiado há muito tempo à Liga de Luta Revolucionária, um grupo comunista de linha pró-chinesa. Phillips na universidade estudou Marx, Mao e Lenin, e manteve relações estreitas com seus colegas comunistas. Phillips se casou com um membro da bilionária família Sandler, que se enriqueceram com a empresa bancária Golden West Savings and Loan. Ele financiou muitas campanhas políticas de esquerda e campanhas de registro de eleitores nos estados do sul e sudoeste para ajudar seu amigo, Barack Hussein Obama, a derrotar Hillary Clinton nas primárias democratas. Phillips foi um importante patrocinador financeiro das campanhas políticas de Kamala Harris para cargos eletivos na Califórnia.

O marido de Kamala, Doug Emhoff, trabalha para o escritório de advocacia DLA Piper, que “possui quase 30 anos de experiência na China comunista, com mais de 140 advogados especializados em “Serviços de Investimento na China Comunista”. Vários funcionários de alto escalão da DLA Piper, tanto chineses quanto americanos, serviram ao regime chinês de uma forma ou de outra. Ele acaba de ser nomeado professor em Yale sobre os pontos cruciais do comunismo, para orientar os futuros advogados.

Quando foi eleita para o Senado dos Estados Unidos, Kamala nomeou como chefe de gabinete uma pró-comunista, Karine Jean-Pierre, que participou ativamente da Rede de Apoio ao Haiti, sediada em Nova York. A organização trabalhou em estreita colaboração com o Partido Mundial dos Trabalhadores pró-China / Coreia do Norte e apoiou Jean-Bertrand Aristide, o ex-presidente comunista de extrema esquerda do Haiti e o seu movimento radical Lavalas.

Felizmente para Kamala, mas potencialmente desastroso para a América, os titulares de cargos eletivos não estão sujeitos ao processo de verificação de antecedentes de segurança. Se o FBI tivesse feito uma verificação de antecedentes de Kamala Harris, ela nunca teria passado, devido aos seus laços de 40 anos com marxistas, comunistas, maoístas e a China comunista. Kamala nunca teria sido aprovado para o ingresso em qualquer uma das cinco Academias do Serviço Militar, nem teria sido nomeada para um cargo no Sub-Gabinete do Governo dos Estados Unidos, nem teria sido aprovada para preencher um cargo sensível em função de alta seguranca na defesa nacional. No entanto, uma vez que Joe Biden foi eleito, a sua vice-presidente poderá estar logo mais a um passo de se tornar presidente. O presidente Trump disse que “Se Joe Biden algum dia for eleito, a China será dona dos EUA”. Biden escolheu a companheira de corrida ideal para o ajudar.

A República constitucional dos Estados Unidos está sendo ameaçada externamente pela República Popular Comunista da China e por suas operações de espionagem muito ativas dentro do território norte-americano. A China, com população de 1,4 bilhão, é governada pelos 90 milhões de membros do Partido Comunista Chinês (PCC), que vem trabalhando com a Rússia para destruir os Estados Unidos há mais de 70 anos.

O PCC opera uma enorme rede de inteligência global por meio de seu Ministério de Segurança do Estado. Opera também uma vasta rede de inteligência nos Estados Unidos. É composto não apenas por agentes de inteligência que trabalham para o governo chinês, mas também por um grande número de chineses que trabalham em corporações americanas do comércio e da indústria, por associações acadêmicas chinesas e 370.000 estudantes chineses atualmente cursando universidades americanas. Também controla os centros de doutrinação e de coleta de inteligência do Instituto Confúcio nos EUA, que atuam em 67 campi universitários e em 17 distritos de escolas públicas K-12. Os Centros Confúcio são administrados por agentes da inteligência comunista chinesa.

Kamala envolveu-se com os negócios da família Biden ao ligar-se a Joe Biden, que trabalhou em estreita colaboração com a China comunista por 12 anos. O filho de Joe, Hunter Biden, é o ponto de contato para o desenvolvimento dos negócios da família Biden no exterior: na Ucrânia, Rússia, China comunista, Iraque, Irã etc. Hunter recebeu um empréstimo de $ 5 milhões para a empresa familiar Biden e formou uma parceria comercial com a China; esse empréstimo foi mais tarde perdoado pela parceira, pelo pagamento de apenas um dólar.

Hunter Biden recebeu US $ 1,5 bilhão pela empresa da família Biden, para comprar estrategicamente participações em empresas do complexo industrial militar dos EUA, cujas tecnologias melhorariam a indústria de defesa da China comunista. Hunter Biden também foi instruído para tentar assumir o controle de empresas americanas envolvidas na obtenção de minerais de terras raras nos Estados Unidos. Hunter também recebeu US $ 3,5 milhões da esposa do prefeito de Moscou por algum motivo cuidadosamente escondido.

A China tem um exército de dois milhões de homens, incluindo a maior Marinha do mundo. Os Estados Unidos não possuem navios e munições suficientes para derrotar a Marinha chinesa sem o uso de armas nucleares. Existe um livro famoso, Guerra Sem Restrições (War Without Restrictions), escrito em 1999 por dois coronéis do Exército de Libertação Popular. Ele argumenta que a guerra entre a China e os Estados Unidos é inevitável e que, quando ocorrer, a China deve estar preparada para usar todos os meios necessários para alcançar a vitória.

Se os eleitores americanos lessem as informações básicas (no artigo de Trevor Loudon) sobre Kamala Harris, eles nunca apoiariam sua eleição como vice-presidente dos Estados Unidos. Joe Biden sofre de início de demência e a sua consciência cerebral continuará a declinar; nunca poderá cumprir um mandato de quatro anos. Desde que Biden foi eleito, os socialistas, marxistas e comunistas que controlam Kamala, planejam promulgar disposições da 25ª Emenda, para remover Joe Biden do cargo e para que ela possa se tornar a primeira presidente comunista dos Estados Unidos.

Desde que Biden foi eleito, porque ele não estaria à altura da tarefa, Kamala lideraria o esforço para nomear esquerdistas, comunistas, socialistas e marxistas antiamericanos muito perigosos, para posições altamente sensíveis na burocracia do “estado profundo” de Washington. Ela preencheria todos os cargos designados nas agências de inteligência dos Estados Unidos, no Departamento de Segurança Interna, no Departamento de Defesa, no Departamento de Justiça, no Departamento de Estado, no FBI, na CIA, a maioria dos cargos de gabinete, o Conselho de Segurança Nacional e os funcionários da Casa Branca.

Os eleitores americanos devem estar vigilantes, pois Kamala Harris é uma ameaça muito séria à segurança nacional e à própria sobrevivência da República Constitucional dos Estados Unidos. Ela tem sido companheira de viagem de maoístas, socialistas, progressistas e comunistas chineses por mais de 35 anos. O presidente Trump tinha muito mais informações sobre os antecedentes de Kamala Harris do que apresentamos aqui, e ele estava certo quando acusou Kamala de ser uma subversiva comunista.

Fonte: The Epoch Times e Trevor Loudon

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui