Sacerdote católico pró-LGBT denuncia críticos da ‘ideologia de gênero’

0
Salt and Light Media / YouTube.

“A ideologia de gênero é um bicho papão promovido pelas agendas políticas e eclesiais de direita”

Em defesa da ideia de que os homens podem ser mulheres e vice-versa, pe. Daniel Horan condenou a “promoção acrítica da pseudociência e das antigas teorias filosóficas do século XIII”. O termo “ideologia de gênero” como um “bicho papão” é, segundo Horan, promovido pelas “agendas políticas e eclesiais de direita“.

Em um artigo publicado em junho no National Catholic Reporter, o padre Daniel Horan, Presidente de Espiritualidade Duns Scotus da União Teológica Católica em Chicago, tenta lançar o uso do termo “ideologia de gênero” como discriminação contra “pessoas LGBTQ” e comparável a exemplos históricos do que ele chama de “pecado institucional e seu lento curso de correção” da Igreja Católica.

O termo “ideologia de gênero” é usado frequentemente por católicos e conservadores para se referir ao impulso global de redefinição do casamento de modo a incluir a possibilidade do “casamento entre pessoas do mesmo sexo”, bem como a crescente promoção do movimento transgênero, que inclui à chamada “cirurgia de mudança de sexo” às crianças.

No documento  “Declaração das Verdades” publicado no ano passado, o cardeal Raymond Burke e o bispo Athanasius Schneider, juntamente com vários outros bispos, declararam:

Com relação à teoria de gênero, a declaração reafirma que ‘os sexos masculino e feminino, homem e mulher, são realidades biológicas criadas pela sábia vontade de Deus’. Por isso, a declaração denomina cirurgia de mudança de sexo uma “rebelião contra a lei natural e divina” e um “pecado grave”.

O cardeal espanhol Antonio Cañizares Llovera disse no ano passado que a ideologia de gênero é “a maior ameaça que a humanidade enfrenta agora”, enquanto o arcebispo polonês Marek Jedraszewski descreveu a ideologia de gênero como o “caminho direto para a autodestruição de nossa civilização”.

Mas Horan argumenta que ao invés de “ideologia de gênero”, a verdadeira ideologia problemática hoje é uma “promoção acrítica da pseudociência do século XIII e das antigas teorias filosóficas que, embora interessantes e influentes, não são mais suficientes para dar conta de importantes desenvolvimentos no conhecimento e na experiência humana desde a Idade Média”.

Citando a exortação apostólica Evangelii Gaudium de 2013 do Papa Francisco, Horan argumenta que “a apresentação de uma compreensão da pessoa humana de quase oito séculos, que de alguma forma é completa em si mesma, além do que possamos aprender sobre a humanidade ou o mundo posteriormente, é exatamente a redução da fé a uma ‘peça de museu'”.

Horan chega ao ponto de sugerir que o uso da filosofia aristotélica de São Tomás de Aquino, controvertida entre os teólogos católicos do século XIII, é comparável aos que adotam idéias inovadoras hoje “decorrentes de estudos sobre sexo e gênero”.

O clérigo franciscano de Chicago afirma que “aqueles que invocam a ‘ideologia do gênero’ geralmente não sabem do que estão falando” e sugere que deveriam estudar o trabalho dos acadêmicos promovendo a teoria de que “gênero” e sexo biológico não são necessariamente a mesma coisa.

Em 2015, Horan comemorou a decisão da Suprema Cortedos EUA,  Obergefell v. Hodges, declarando que a Constituição dos EUA contém um direito inalienável, o “casamento” entre pessoas do mesmo sexo, escrevendo em um artigo para a publicação jesuíta América que “as ‘alegrias e esperanças’ das mulheres e homens LGBT que clamaram pelo reconhecimento de sua dignidade e valor humano, estas são as ‘alegrias e esperanças’ de mim hoje”.

Horan concluiu seu artigo recente afirmando que “não há melhor momento” para os líderes católicos “aprenderem mais com as ciências naturais e sociais sobre a maravilhosa diversidade da criação de Deus, incluindo as múltiplas experiências e identidades dentro da família humana” do que no mês de junho, quando, como afirma Horan, o “mundo inteiro comemora o mês do orgulho LGBTQ”.

A Igreja Católica dedica tradicionalmente o mês de junho ao Sagrado Coração de Jesus.

Fonte: Life Site News

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui