Protestos contra lockdown e passaportes de vacinação reúnem milhares na Europa e Oceania

0

Seis países registraram protestos contra autoritarismo disfarçado de medidas sanitárias. Apesar de agenda contra obrigatoriedade de vacinação, grande mídia teima em classificar manifestantes de “antivacina”

Dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas da Austrália, França, Grécia, Inglaterra, Irlanda e Itália, em um dia que ficou marcado como o Worldwide Rally for Freedom, no último sábado (24).

Na cidade de Sidney, na Austrália, 50 mil pessoas desobedeceram ao lockdown para protestar, de acordo com a Sky News Australia. Mais de 500 manifestantes foram autuados e a polícia trabalha para identificar e processar pelo menos 3,5 mil pessoas.

Eventos similares também aconteceram em Brisbane e Melbourne.

O Ministério do Interior da França estima que cerca de 160 mil pessoas foram às ruas em Paris e outras 100 cidades, de acordo com a DW. Foi o segundo sábado seguido de protestos – na semana passada, cerca de 114 mil pessoas foram às ruas.

Em Paris, cerca de 11 mil pessoas saíram às ruas para protestar contra a vacinação obrigatória de profissionais da saúde e contra a exigência do passaporte de vacinação.

De acordo com a DW, “tumultos eclodiram em vários pontos da cidade, principalmente perto da avenida Champs-Elysées, e manifestantes tiveram de ser contidos pela polícia com gás lacrimogêneo e jatos de água. O ministro do Interior, Gerald Darmanin, condenou a violência contra a polícia e disse que nove pessoas foram presas.”

Na Grécia, cerca de 5 mil pessoas foram aos protestos carregando cartazes anunciando slogans como “Não toque em nossas crianças”, segundo o VOA News.

No Reino Unido, nem a imprensa e nem as autoridades divulgaram o número de manifestantes que se concentraram na Trafalgar Square (foto), em Londres, um sinal de que o protesto não foi pequeno.

O jornal Independent disse que “milhares de manifestantes antivacina” se reuniram na capital britânica. O The Mirror disse que 16 pessoas foram presas durante o protesto, com nove agentes da polícia metropolitana feridos.

Oficialmente, cerca de 1,5 mil pessoas marcharam pelas ruas de Dublin, capital da Irlanda, contra o autoritarismo das medidas governamentais, de acordo com o portal RTE.

O portal independente GRipt, entretanto, estima que o número de pessoas foi bem maior, de pelo menos 10 mil manifestantes.

A Itália também foi tomada por protestos em pelo menos 80 cidades, segundo o site de notícias Il Sole

Em Roma, 2 mil pessoas se reuniram na Piazza del Popolo; 9 mil pessoas fizeram passeata até a Piazza Scala, em Milão e 5 mil se reuniram em Torino.

Fonte: Senso Incomum

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui