Projeto de lei ameaça a Igreja Católica na França

0
Foto: EFE/EPA/ERIC GAILLARD / Divulgação.

Com a desculpa de combater o islamismo radical, ataca-se a Igreja

Na França, com a desculpa de combater o islamismo radical, a Igreja Católica acaba sendo atacada através do projeto de “lei contra o separatismo”.

Há vários pontos delicados nesse projeto de lei.

Talvez o ponto mais polêmico seja a proibição do ensino doméstico, algo como o Homeschooling. “Compartilhamos os temores de muitas famílias que educam seus filhos em casa e que agora se perguntam que liberdade educacional será concedida a eles”, expressa o Pe. Hugues de Woillemont, secretário-geral da Conferência Episcopal Francesa.

O sacerdote também adverte sobre a imposição contida no artigo 27 do projeto que obrigaria, a cada 5 anos, as associações de culto apresentarem à prefeitura uma declaração de “qualidade de culto”. Na França, toda diocese tem uma associação de culto.

A renovação do caráter de culto da associação a cada cinco anos poderia representar uma forma ilegítima de controle. A proposta da Igreja é que a renovação seja automática e só deve ser validada se surgir um problema.

O tema delicado do “contrato de compromisso republicano”

O projeto prevê que as associações de culto assinem um “contrato de compromisso republicano”, com conteúdo ainda não especificado.

“Registramos nossas associações já em conformidade com as leis da República. Para que serve esse contrato? Um documento já existe, agora eles adicionam um contrato. E até onde vamos chegar?”, interroga o Pe Woillemont.

Tal contrato pode dar a impressão de uma imposição ideológica do Estado, no sentido da laicidade, como já mencionado nas discussões.

A opinião do Secretário-Geral é muito clara. As associações de culto devem cumprir as leis; o resto parece o Tribunal Revolucionário de Fouquier-Tinville…

Fonte: Gaudium Press

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui