Prefeito nas Filipinas anuncia política que proíbe não vacinados de entrar em supermercados e mercearias

0

A partir de 25 de agosto, as restrições draconianas do prefeito serão expandidas

O prefeito da cidade de Lapu-Lapu nas Filipinas emitiu uma nova ordem executiva que proíbe aqueles que não receberam vacina COVID-19 de entrar em supermercados, mercearias, departamentos lojas e lojas de conveniência.

O prefeito Junard “Ahong” Chan de Lapu-Lapu, uma cidade com uma população de pouco menos de meio milhão, emitiu a ordem executiva nº 2021-040 na segunda-feira (26), ordenando restrições relacionadas ao COVID-19 até 25 de agosto, alegando que havia um “ surto de casos“ do vírus na cidade.

A partir de 25 de agosto, no entanto, as restrições draconianas de Chan vão aumentar: embora o bloqueio temporário deva ser suspenso, aqueles que não foram injetados com as injeções experimentais serão banidos de grande parte da vida pública.

“A partir de 25 de agosto de 2021, apenas as pessoas vacinadas, mediante apresentação de seus cartões de vacinação, poderão entrar nos mercados públicos e privados, incluindo lojas de departamentos, supermercados, mercearias e lojas de conveniência”, leia a Seção 4 do documento.

Referindo-se à notícia, o blogueiro do Reino Unido Laurence England escreveu: “Se os não-vaxxados forem bloqueados nas lojas de alimentos, as câmaras de gás estão a apenas alguns meses de distância”.

Em uma entrevista de rádio subsequente, o prefeito Chan defendeu suas ações apelando para a baixa taxa de vacinação COVID na área. “Vamos esperar até 25 de agosto. Vamos equilibrar … o número de nossos moradores que vão se vacinar. Vamos esperar para ver, ainda não é definitivo, pois vamos avaliar o comparecimento em nossos centros de vacinação”, declarou Chan.

O prefeito pretende injetar pelo menos 70% da população da região, dizendo: “Não queremos que mais nada aconteça a não ser dar proteção aos Oponganons [moradores da cidade]”.

Chan postou fotos de sua ordem executiva em sua página do Facebook, onde foi recebido com consternação por usuários de mídia social, questionando, sem acreditar, se esta é uma “administração democrática”.

Tão grande foi a reação, bem como o desejo repentino entre a população de receber as injeções de COVID-19, que Chan elogiou no Facebook ontem o aumento repentino nas injeções da média diária de 2.000 para 5.600.

Chan escreveu que, devido ao aumento nas injeções administradas, ele tinha “grande confiança” de que seria possível rescindir a Seção 4 da Ordem Executiva, desde que o número de injeções administradas permanecesse constante e alto.

No entanto, o prefeito não fez promessas, em vez disso, observou que consultaria o Departamento do Interior e o Governo Local sobre qual seria a melhor política em relação ao status de vacinação. “Deus nos abençoe e eu amo todos vocês,” ele encerrou.

A cidade tem atualmente 1.021 “casos ativos” do vírus, segundo o prefeito, dos quais 70% são “assintomáticos”. De acordo com uma pesquisa de 2020, Lapu-Lapu tem uma população de 497.604 pessoas.

Dados oficiais das Filipinas revelam que 1.572.287 pessoas relataram ter contraído o vírus, com 1.488.437 se recuperando.

Em contraste com a alegação do prefeito de 1.021, Lapu-Lapu em si é oficialmente relatado como tendo apenas 763 casos ativos de COVID-19. Um total de 7.844 pessoas se recuperaram de um total de 8.790 pessoas que contraíram o vírus, e foi relatado que 183 morreram com o vírus.

Os meios de comunicação locais informam que, até 28 de julho, 77.658 pessoas receberam a injeção: 53.376 receberam apenas a primeira dose e 24.282 receberam a segunda dose na cidade.

Atualmente, o Departamento de Saúde das Filipinas escreve que as injeções experimentais não são obrigatórias: “Mas o governo incentiva fortemente o público a ser vacinado e protegido contra doenças evitáveis”.

Enquanto isso, o número de feridos e mortos após as injeções experimentais de COVID-19 continua crescendo nos Estados Unidos e no resto do mundo. De acordo com dados oficiais de 23 de julho, entre 14 de dezembro de 2020 e 16 de julho de 2021, um total de 491.218 eventos adversos foram relatados ao VAERS, incluindo 11.405 mortes e 48.385 feridos graves.

Das 5.467 mortes nos Estados Unidos relatadas em 16 de julho, 20% ocorreram dentro de 48 horas após a vacinação, 14% ocorreram dentro de 24 horas e 34% ocorreram em pessoas que ficaram doentes dentro de 48 horas após serem vacinadas.

Entre a faixa etária de 12 a 17 anos, houve 12 mortes relatadas, das quais duas foram suicídios, 14.494 eventos adversos no total, incluindo 871 classificados como graves.

Fonte: Life Site News

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui