Por que as tropas brasileiras tiveram o melhor remendo unitário da Segunda Guerra Mundial?

0
Soldados brasileiros em Montese, abril de 1945. Força Expedicionária Brasileira.

Os soldados brasileiros se pareciam muito com os americanos de uniforme, exceto por um detalhe

A contribuição do Brasil para o esforço de guerra dos Aliados é extraordinária, mas muitas vezes esquecida. Embora o Brasil originalmente tentasse permanecer neutro no conflito, os Estados Unidos acabaram incentivando o país a romper relações com as potências do Eixo. Como resultado, os submarinos alemães começaram a afundar a navegação brasileira e a matar cidadãos brasileiros.

Como resultado, o Brasil entrou em guerra no lado aliado em agosto de 1942, pronto para punir o Eixo por matar brasileiros.

A Força Expedicionária Brasileira contava com cerca de 25.000 homens, o único aliado da América do Sul a contribuir com tropas no esforço de guerra. A força de combate do Brasil desempenharia um papel crucial em algumas das batalhas críticas da Europa que estavam por vir, de uma maneira que ninguém pensava ser possível. Literalmente.

Alguns comentaristas disseram que o mundo provavelmente veria cobras fumando do que as tropas brasileiras em um campo de batalha da Segunda Guerra Mundial. Então, quando o BEF apareceu para o Quinto Exército dos EUA, eles se pareciam muito com os americanos de uniforme, exceto por um detalhe importante: um remendo no ombro, com uma cobra fumando um cachimbo.

O logotipo das Forças Expedicionárias Brasileiras. Governo do Brasil.

Agora orgulhosamente se autodenominando “Cobras Fumantes”, as forças brasileiras estavam prontas para combater italianos e alemães onde quer que fosse necessário.

Enquanto isso, a Marinha e a Força Aérea brasileiras estavam se vingando da Marinha e das Forças Aéreas do Eixo que tanto prejudicaram a navegação brasileira. Depois de perder 36 ou mais navios antes de entrar na guerra, eles perderam apenas três navios depois. E, apesar da Força Aérea do Brasil voar apenas 5% das missões aéreas da guerra, eles conseguiram destruir 85% dos depósitos de munição do Eixo, 36% dos depósitos de combustível do Eixo e 28% da infraestrutura de transporte do Eixo.

De volta ao terreno, as “Cobras Fumantes” da Força Expedicionária Brasileira estavam lutando contra italianos e alemães na Campanha Italiana em 1943 e diminuindo o trabalho de seus inimigos, proporcionando descanso muito necessário para as unidades que lutavam há meses.

As três equipes de combate regimental que compunham o BEF enfrentaram a 148ª Divisão alemã, derrotando-a profundamente na Batalha de Collecchio. Outras vitórias sucederam: Camaiore, Monte Prano, Vale do Serchio. Os brasileiros também derrubaram as divisões italianas Monte Rosa, San Marco e Italia. Ao todo, eles capturaram mais de 15.000 prisioneiros e tiraram mais 500 de ação em campanhas posteriores.

Eles se retiraram somente quando ficaram sem munição.

Fonte: www.businessinsider.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui