Polícia Militar pratica exercício de guerra urbana no centro de Estocolmo

0
Foto: © Svante Rinalder/Försvarsmakten

Gangues de criminosos migrantes continuam a aumentar na Suécia

Os residentes de Estocolmo confrontam-se atualmente com um quadro extremamente preocupante: cerca de 40 agentes da polícia militar com equipamento de choque completo simulam combates nas ruas do centro da cidade.

O governo do primeiro-ministro Stefan Löfven, do partido social-democrata, está se mantendo discreto. Mesmo assim há forte suspeita de que a presença da polícia nas ruas está ligada ao avanço de gangues de migrantes criminosos.

Um exercício muito especial está ocorrendo nas ruas do centro de Estocolmo nesta semana: 40 polícias militares com equipamento completo simulam combates de rua, e também circularão pelos distritos de Östermalm, Kungsholm e Vasastaden. De acordo com reportagens da imprensa sueca , trata-se do 11º batalhão da Polícia Militar da Guarda Real, que treinará durante a semana de 23 a 26 de março. A Guarda Real fornece, entre outras coisas, proteção corporal e patrimonial para a família real sueca.

A Guarda Real (Livgardet em sueco) é um regimento de infantaria e cavalaria com múltiplas finalidades: funções cerimoniais e de proteção da família real sueca e de suas residências; formação e treino da polícia militar; capacitação e especialização na detecção e luta antiterrorista, bem como nos meios florestais e urbanos. Diversas unidades compõem a Guarda Real, entre elas alguns batalhões da polícia militar.

De acordo com o Ministério da Defesa, os soldados vão “realizar vários exercícios em grupos com o objetivo de praticar a capacidade de reforçar a proteção das atividades das Forças Armadas dignas de proteção”. Além disso, durante o exercício, os soldados devem praticar as suas capacidades de policiamento, concentrando-se principalmente nas desordens de rua. Também a ação independente, a formação e desenvolvimento de líderes devem ser estimulados. “Pedimos aos nossos comandantes que tomem decisões e as implementem com coerência”, disse o comandante do batalhão, Johan Jönsson, num comunicado.

O que não consta nos relatos, mas são rumores provenientes de comentários vindos de especialistas, é que esses e outros exercícios da polícia militar estão diretamente relacionados com a crescente criminalidade dos bandos de migrantes, que conturbam a vida em muitas cidades importantes do país há meses.

A polícia regular não consegue controlar esses perigosos criminosos, então agora a polícia militar deve estar preparada para as operações adequadas. A Guarda Real é a unidade de elite do exército sueco e tem suas raízes em 1521, quando o então “rebelde” Gustav Wasa, na sua fuga dos capangas, obteve a designação de 16 homens da província de Dalarna para servirem como seus guarda-costas.

____________

Fonte: Freie Welt

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui