Peru: Ex-presidente Alberto Fujimori é investigado pelas esterilizações forçadas de mais de 2.000 mulheres

0
Alberto Fujimori, julgado por esterilizar mulheres / Divulgação.

Mulheres foram esterilizadas contra sua vontade como parte da campanha pelo controle da natalidade, entenda

No Peru, o ex-presidente Alberto Fujimori está sendo investigado pelas esterilizações forçadas de mulheres peruanas durante seu mandato, entre 1990 e 2000. 

Durante o governo de Alberto Fujimori, especificamente entre 1996 e 2000, foi implantado o Programa de Contracepção Cirúrgica Voluntária (AQV), denunciado como um programa de esterilização forçada contra mulheres, especialmente camponesas, lembra RPP.

A denúncia envolve Alberto Fujimori e seus ex-ministros da Saúde Eduardo Yong Motta, Marino Costa Bauer e Alejandro Aguinaga, denunciados como co-autores dos crimes no contexto de graves violações dos direitos humanos. Também inclui Segundo Henry Aliaga Pinedo, Enrique Octavio Marroquín Osorio, Magda Isabel Gonzales Carrillo e Ulises Jorge Aguilar no caso de Mamérita Mestanza, que morreu após passar por um processo cirúrgico de laqueadura tubária, acrescenta RPP.

As esterilizações forçadas são um caso grave de atentado aos direitos humanos cometido no governo Fujimori. 

Cerca de 2.091 mulheres, a maioria de populações indígenas nos Andes, foram esterilizadas contra sua vontade como parte da campanha pelo controle da natalidade, acrescenta Sputnik.

Aborto, contracepção e esterilização fazem parte da estratégia internacional dos promotores da cultura da morte para conseguir o controle da população mundial.

Com informações: hispanidad

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui