Pensilvânia: Órgão eleitoral encontra 21.000 mortos nas listas de eleitores nas últimas semanas de eleição

0
Foto: Spencer Platt/Getty Images.

A Public Interest Legal Foundation (PILF), um grupo de integridade eleitoral, afirma que 92% dos inscritos morreram há mais de um ano

Órgão de vigilância eleitoral encontrou 21.000 mortos ainda nas listas de eleitores da Pensilvânia nas últimas semanas da eleição de 2020.

A Public Interest Legal Foundation (PILF), um grupo de integridade eleitoral, afirma que 92% dos inscritos morreram há mais de um ano. O grupo também diz que há evidências de atividade eleitoral após a morte. As descobertas foram mencionadas em um processo emendado contra o Departamento de Estado da Pensilvânia por sua falha em manter listas eleitorais precisas.

A PILF diz que, até 7 de outubro, 9.212 registrantes estavam mortos há cinco anos, 1.990 registrantes há 10 anos e 197 registrantes há 20 anos. “A Pensilvânia ainda deixou os nomes de mais de 21.000 indivíduos mortos nos cadernos eleitorais menos de um mês antes de uma das eleições gerais mais consequentes para os titulares de cargos federais em muitos anos”, disse o grupo.

“Este caso não é complicado”, disse John Christian Adams, presidente e conselheiro geral da PILF. “Por quase um ano, temos oferecido dados específicos sobre os inscritos falecidos às autoridades da Pensilvânia para um tratamento adequado antes do que se esperava que fosse um resultado apertado no dia das eleições. Quando você pressiona a votação por correio, os erros de manutenção de sua lista de eleitores cometidos anos atrás voltarão a assombrar na forma de destinatários desnecessários e perguntas incômodas sobre cédulas não retornadas ou pendentes”.

reclamação afirma ainda que 114 indivíduos registrados para votar após a morte, e centenas de votos foram dados por indivíduos falecidos nas eleições de 2016 e 2018.

O processo alterado foi aberto um dia antes de Joe Biden assumir a liderança na Pensilvânia. Os legisladores republicanos expressaram preocupações sobre irregularidades na votação. “Quando você está infringindo a lei, ignorando ordens judiciais, contando votos em segredo e ameaçando roubar a presidência, não é “assunto da Pensilvânia”. É assunto da América, e temos o direito de esperar que os votos sejam contados (1) de forma justa, (2) com transparência e (3) NÃO em segredo”, disse o senador Ted Cruz no Twitter na sexta-feira (6).

O Departamento de Estado da Pensilvânia não respondeu a um pedido de comentário até o momento.

Fonte: Freebeacon.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui