Partido Comunista propaga informações falsas em apps, entenda

0

A astúcia foi revelada em um documento interno

Empresas chinesas de tecnologia com fachada comercial são órgãos dos serviços policiais para censurar informações, controlar os cidadãos, espioná-los e lhes enviar mensagens falsas com conteúdo ideológico dissimulado mas adaptado ao público alvo.

O Partido Comunista Chinês (PCCh) fornece o aplicativo de leitura de notícias da ByteDance ligado ao TikTok para inocular propaganda do regime.

A astúcia foi revelada em um documento interno trazido à luz pelo Epoch Times.

Os algoritmos funcionam de forma semelhante no aplicativo ByteDance e no TikTok, apontado pela administração norte-americana em 2020. Esse coleta dados dos usuários com riscos para a segurança nacional.

Em 2016, o escritório de propaganda da cidade de Luohe, no centro da China, instruiu a todos os comitês do Partido Comunista Chinês para abrir contas no Toutiao, outra app popular de coleta de notícias de propriedade da ByteDance.

A circular comunista recomenda o Toutiao porque dissimula propagandas nas contas com aspectos de meras recomendações para usuários escolhidos que, na realidade, são alvos do governo.

Em suma, uns receberão a informação e os outros não, segundo as conveniências do regime socialista.

Em janeiro de 2018, Cao Huanhuan, arquiteto de software de Toutiao, explicou como seu algoritmo rastreia as preferências e hábitos do usuário.

Esse coleta-se três tipos de informações antes de apresentar ao usuário uma postagem pré-escolhida: sobre quem ele interage, qual é seu perfil e onde abre o aplicativo.

Isso implica vasculhar qual é o tipo de meio favorito do usuário-vitima (vídeo, foto, imagem ou texto); os temas que ele prefere (ioga, viagem ou hip hop); o tempo que dedica a cada postagem (duração da visualização, quantidade de fotos e a duração do texto); e as características pessoais do criador da postagem.

O usuário será analisado em seus hobbies, idade, sexo, telefone que usa, seu histórico de pesquisa em aplicativos ByteDance, navegação na Internet, histórico de pesquisa, de compras e assim por diante.

O usuário também será localizado exatamente (casa, restaurante ou viagem ao exterior, e assim por diante); a que horas do dia; que tipo de rede (3G, 4G, 5G ou Wi-fi); e condições meteorológicas.

O algoritmo também vasculhará os históricos fornecidos pela vigilância de outros usuários que têm hobbies ou profissão semelhantes.

Com as informações colhidas pelo aplicativo, uma ferramenta de inteligência artificial (IA) criará o fake perfeito.

A ByteDance também criou várias listas negras, disse Cao, com milhões de palavras-chave ou fotos banidas pelo regime das redes sociais.

Qualquer postagem com um ou mais desses conteúdos é removida imediatamente, completou Cao, sem explicar como são arquivados tantos dados sobre comportamentos e preferências individuais.

O usuário não sabe mas ele foi laçado e informado de modo distorcido ou errado por um sistema ditatorial onipresente.

Fonte: opesadelochines

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui