Partido Comunista Chinês consegue tirar de circulação livro infantil na Alemanha

0

Escândalo sobre a circulação do livro “Um arco-íris para Anna e Moritz”

A ação do lobby comunista chinês na Alemanha forçou a editora Carlsen Verlag a cancelar a venda de um livro infantil porque continha a frase: “O vírus vem da China e de lá se espalhou por todo o mundo”.

A menção à origem chinesa do vírus SARS-CoV-2 – que é muito provável que veio de um laboratório em Wuhan, China – foi considerada como “racismo”, informou Focus, terceira maior revista alemã de notícias, de circulação nacional, publicada em Munique. Adotando a linha partidária do Partido Comunista Chinês (CCP), o portal online da Focus também falou em “mais racismo nos pátios das escolas”.

No livro infantil “Um Arco-íris para Anna e Moritz”, publicado no verão de 2020, o pai explica aos filhos Anna e Moritz “de forma maliciosa” que o coronavírus veio da China, escreve o Global Times, jornal chinês de circulação internacional com uma versão em alemão, filiado ao Partido Comunista Chinês. Isto causou um “clamor na comunidade chinesa na Alemanha”, e o consulado chinês em Hamburgo “apresentou uma queixa formal contra a editora e vários cidadãos chineses ameaçaram entrar com ações judiciais”.

Em resposta, a Carlsen Verlag, sediada em Hamburgo e pertencente ao Grupo Munich Bonnier, retirou o livro de sua coleção e destruiu os exemplares, como relata o Hamburger Morgenpost: “A declaração feita no livro para uma criança sobre a origem do coronavírus correspondia à informação corrente na época; não a formularíamos mais desta forma hoje”, diz a editora Carlsen. Uma reimpressão corrigida do livro está sendo providenciada.

A revista Welt questionou: a editora Carlsen cedeu devido à pressão política do lobby chinês, ou aderiu com convicção ao conteúdo da campanha de propaganda orquestrada por Pequim? Não se sabe até o momento se a nova edição reflete a linha partidária chinesa, segundo a qual o vírus veio dos EUA e foi inventado para prejudicar a China.

____________

Fonte: Freie Welt

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui