Para Klaus Schwab um ataque cibernético poderia representar a próxima pandemia

0

A crise do Covid-19 seria vista neste sentido como uma pequena perturbação em comparação com um grande ataque cibernético

Em 8 de julho de 2020, o fundador do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, falou de um provável ataque cibernético em escala global que, em comparação, faz do Covid-19 uma “preocupação menor”.

“Todos sabemos disso”, diz Schwab, “mas ainda não prestamos atenção suficiente ao cenário aterrador de um ataque cibernético global que poderia levar a uma interrupção total do fornecimento de energia, do transporte, dos serviços hospitalares, de nossa sociedade como um todo”. A crise do Covid-19 seria vista neste sentido como uma pequena perturbação em comparação com um grande ataque cibernético. Usar a crise Covid-19 como uma chance oportuna para refletir sobre as lições que a comunidade de segurança cibernética pode aprender e para melhorar nossa falta de preparação para uma potencial pandemia cibernética”.

Das duas, uma: ou Schwab é um catastrófico ou um vidente. Mas esse poderia ser um programa já em vigor para acelerar o que eles chamam de Great Reset. Por que a suspeita?

Em primeiro lugar, para realizar, como diz Schawb, um ataque global por computador são necessários grupos de pessoas maliciosas em todos os continentes. Será que eles usarão satélites do espaço que podem ser operados por simples smartphones? É claro que isso existe, e esperamos que os responsáveis tenham tomado medidas para protegê-los. Se não, estamos fritos, porque isso significa que o programa do Great Reset é apoiado pelas maiores potências do planeta.

Mas então, é possível que, diante de uma ameaça tão devastadora na qual este escritor pensa, e não apenas este escritor, pensa, desde os blackouts de 2003 no nordeste dos Estados Unidos, ninguém tenha se preocupado com este perigo? Após a experiência dos blackouts, repetidos várias vezes, que por algumas horas deixaram sem efeito todas as atividades de pelo menos cinquenta milhões de americanos, será que precisávamos que Schwab nos lembrasse disso? Os governos dos países mais ricos e poderosos são menos inteligentes que o pessimista alemão? Tal catástrofe só poderia acontecer com o consentimento daqueles com interesses inomináveis: as mesmas pessoas que encenaram o terror do Covid-19, ou seja, os promotores do Great Reset.

Como podemos levar a sério os governantes, os amigos da OMS e de Schwab, que durante um ano fecharam a boca de milhares de médicos que tratavam do Covid-19 com drogas existentes?

 Não podemos acreditar nos governos que se mantiveram calados sobre o número de suicídios e o aumento de pessoas deprimidas causado por seu terrorismo midiático. Não podemos acreditar naqueles que arruinaram sistematicamente milhares de pequenas e grandes empresas e, inacreditavelmente, forçaram os hospitais a não admitir pacientes que não sofrem de covid-19. Eles fizeram com que os idosos morressem sozinhos, sem o conforto de suas famílias, eles mantiveram nossos filhos trancados em casa para que acompanhassem as aulas da escola no computador. Eles impediram milhões de cidadãos de sair de suas casas por meses, multando até mesmo aqueles que precisavam dar um passeio noturno solitário para não enlouquecer. Política criminal suficiente para instituir um julgamento do tipo Nuremberg.

Com relação ao Covid, vou concluir com um breve comentário sobre o novo governo Draghi. Se continuarmos a falar sobre a vacina sagrada, a impor lockdown, sem dar espaço aos médicos que curaram o vírus com medicamentos simples, isso significa apenas uma coisa: salve-se quem puder. Se há alguns anos Gates previu a pandemia do Covid, devemos esperar também a cyber-pandemia.

Aconselho comprar um pedaço de terra, algumas galinhas e uma cabra para o leite. Além da ajuda de Deus, existe apenas uma alternativa: os jovens devem se organizar e agir.

Agostino Nobile, em 20 de fevereiro de 2021.

(Tradução para o português: Helga Maria Saboia Bezerra, a partir do texto em italiano no blog Stilum Curiae)

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui