Organização confirma bloqueio da internet em Cuba durante protestos

0
AP Photo/Marta Lavandier.

A NetBlocks mostra que o WhatsApp, Facebook, Instagram e também alguns servidores Telegram foram interrompidos na única empresa de telecomunicações de Cuba

Os dados de rede NetBlocks, organização que monitora a liberdade de internet no mundo, confirmam a interrupção parcial das mídias sociais e plataformas de mensagens em Cuba a partir de 12 de julho de 2021. As restrições visadas provavelmente limitarão o fluxo de informações de Cuba após protestos generalizados no domingo (11), enquanto milhares de pessoas se manifestaram contra as políticas do governo comunista. As restrições estão em vigor a partir da tarde desta terça-feira, horário local.

As métricas do NetBlocks mostram que as plataformas de comunicação WhatsApp, Facebook, Instagram e também alguns servidores Telegram são interrompidos na ETECSA (Empresa de Telecomunicaciones de Cuba, SA / AS27725) de propriedade do governo, incluindo a Cubacel, a rede celular operada pela única empresa de telecomunicações de Cuba. Os resultados corroboram com os relatos de usuários sobre interrupções nos serviços.

Segundo a rede NetBlocks, estão em curso trabalhos para rever a natureza dos quadros jurídicos relativos à restrição direcionada do serviço durante o tempo em questão. A Organização identificou um padrão semelhante de restrições de mídia social durante os protestos de San Isidro pela liberdade artística em Havana em novembro de 2020.

As manifestações clamando por liberdades sociais e políticas aumentaram desde o ano passado, com a polícia inundando as ruas na segunda-feira (12), enquanto as restrições de mídia social foram descobertas.

A NetBlocks recomenda que os governos cumpram as normas internacionais e estruturas de governança da Internet e garantam uma conectividade confiável com a Internet, incluindo em momentos de agitação política.

Com informações: netblocks.org

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui