Operação da PF quebra sigilo bancário de apoiadores de Bolsonaro

0
Sede da Polícia Federal em Brasília

Os investigados são Edgard Corona (CEO da rede de academias Smart Fit), Luciano Hang (co-fundador e proprietário da Havan), Reinaldo Bianchi Júnior e Winston Rodrigues (coordenador do Bloco Movimenta Brasil)

Fonte: Brasil Sem Medo

O inquérito ilegal realizado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, autorizou que a Polícia Federal (PF) realize a quebra de sigilo bancário e fiscal de quatro pessoas que, na visão de Moraes, estariam financiando fake news.

Os investigados são Edgard Corona (CEO da rede de academias Smart Fit), Luciano Hang (co-fundador e proprietário da Havan), Reinaldo Bianchi Júnior e Winston Rodrigues (coordenador do Bloco Movimenta Brasil). 

Por meio de nota, Hang afirmou que está de consciência tranquila de que jamais atentou contra ministros do STF ou contra a instituição.

Winston Rodrigues confirmou, por meio de rede social, que recebeu “visita da Polícia Federal, que procedeu uma busca e apreensão de computadores e celulares” em sua casa, mas que não foi informado do motivo.

Inquérito

Nesta quarta-feira (27), a PF cumpriu mandados de busca e apreensão em nas residências de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro baseados em um inquérito ilegal que apura suposta propagação de Fake News.

Entre eles estão: O deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), o ex-deputado e presidente nacional do PDT, Roberto Jefferson, o jornalista Allan dos Santos, o humorista Rey Bianchi, a ativista Sara Winter e o jornalista Bernardo Küster, diretor de opinião do Brasil Sem Medo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui