Ohio: polícia identifica homem que distribui dinheiro a manifestantes em protestos

0
créditos AFP / Divulgação

As imagens mostram um homem branco com barba entregando dinheiro a dois manifestantes negros

A polícia de Columbus, Ohio, identificou o homem que foi pego em vídeo dando dinheiro aos manifestantes que participaram dos protestos pela morte do afro-americano George Floyd, morto em 25 de maio, em Minneapolis, quando o ex-policial Derek Chauvin pressionou o joelho em seu pescoço.

Imagens de um vídeo que ficou viral nas redes sociais mostram um homem branco com barba distribuindo dinheiro a dois manifestantes negros e instruindo-os a continuar com os tumultos.

A polícia de Ohio está procurando por este homem que foi pego em fotos enquanto pagava manifestantes para destruir bens públicos durante os distúrbios pela morte do afro-americano George Floyd. Captura de tela / Twitter / @ columbuspolice.

“Alguém pode identificar este homem? Testemunhas o viram em Columbus, Ohio, na noite de sábado (30) pagando para as pessoas se amotinarem e destruírem propriedades públicas”, a polícia de Columbus tweetou e postou no Facebook.

A Polícia de Ohio pediu ajuda à comunidade para identificar o homem, pois era do interesse daquela agência falar com ele. Posteriormente, as autoridades informaram que o haviam identificado e agradeceram à comunidade pela assistência oferecida.

Até agora, as autoridades não ofereceram mais detalhes sobre a identidade do homem.

O vídeo, que também foi compartilhado pela polícia de Columbus, levantou suspeitas sobre a presença de grupos anarquistas por trás dos protestos e motins violentos, que supostamente deixaram pelo menos três pessoas mortas, destruídas e saqueadas em diferentes cidades.

O presidente Donald Trump se referiu ao assunto e chamou esses grupos de “esquerda radical”.

As autoridades em Columbus, relataram que a maioria dos manifestantes permaneceu pacífica durante as manifestações, e não outros que causaram destruição de propriedade, atacaram a polícia atirando objetos contra eles, incendiaram edifícios e veículos.

Janelas quebradas em um prédio mostram danos após uma noite de protestos na sexta-feira, 29 de maio de 2020 em Columbus, Ohio. AP / Andrew Galês-Huggins / Divulgação.

A polícia de Columbus informou que 59 pessoas foram presas e um toque de recolher foi decretado em toda a cidade das 22:00 às 06:00, uma lei que estará em vigor até novas ordens das autoridades.

A Guarda Nacional dos Estados Unidos confirmou neste domingo a mobilização de 5.000 soldados em 15 estados e no Distrito de Columbia, onde fica a capital, Washington DC, para conter os distúrbios resultantes dos protestos pela morte em Minneapolis do cidadão negro, George Floyd, durante uma prisão, o que levou à acusação de assassinato de um dos agentes envolvidos.

Com os protestos espalhados pelo país durante o fim de semana, monumentos foram danificados na Virgínia, nas Carolinas e no Mississippi. A presença de memoriais confederados em todo o Sul, e em outras partes dos Estados Unidos, vem sendo questionada há anos porque são dedicados àqueles que se opõem à erradicação da escravidão, e alguns já estavam sendo considerados para eliminação.

Um manifestante grita com um dinheiro da Guarda Nacional na cara durante uma manifestação na East Lake Street, em St. Paul, Minnesota. AP / John Minchillo / Divulgação

Enquanto isso, as redes Target e CVS anunciaram no domingo (31) o fechamento temporário de várias de suas lojas, incluindo algumas que foram danificadas durante os protestos sobre a morte de George Floyd, em Minneapolis, na semana passada.

A Target informou que fechou seis lojas por um período prolongado e espera reabrir sua localização em Lake Street em Minneapolis ainda este ano. A loja está localizada perto de onde Floyd morreu nas mãos da polícia e foi severamente danificada durante os distúrbios da semana passada. Outra loja em Minneapolis permanece fechada, assim como outras em Oakland, Atlanta, Filadélfia e Chicago.

Em Miami, grupos ligados às ditaduras da Venezuela e Nicarágua participaram dos distúrbios. A Organização Veppex solicitou ajuda da comunidade para identificar um homem acusado de participar de atos de destruição na cidade de Miami.

Fonte: diariolasamericas.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui