Ódio cristão no Canadá: ativistas de esquerda queimam igrejas

0

Isto foi precedido por debates públicos sobre colonialismo, opressão e discriminação contra os nativos americanos na história do Canadá

Em 21 de junho, duas Igrejas Católicas no Canadá foram incendiadas. A Igreja do Sagrado Coração, de 110 anos, pegou fogo por volta da 1h30 na reserva de Penticton. Construída em 1910, a igreja está hoje em ruínas. Outro incêndio ocorreu às 3 da manhã na Igreja de São Gregório em Oliver.

Esse incêndio criminoso foi o início ardente de um padrão segundo o qual outras igrejas deveriam ser destruídas e transformadas em cinzas. Em 27 de junho, duas outras igrejas católicas na Colúmbia Britânica foram incendiadas. Semelhante ao primeiro caso, eles foram acesos quase simultaneamente. Mais tarde naquele dia, uma quinta igreja foi incendiada, mas foi salva da destruição total.

Em 30 de junho, a grande e histórica Igreja Católica St. Jean Baptiste em Edmonton, Alberta, foi totalmente queimada.
Em 1º de julho, uma igreja anglicana foi incendiada.

arcebispo de Edmonton, Richard Smith, e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau , condenaram os atos.

Isto foi precedido por debates públicos sobre colonialismo, opressão e discriminação contra os nativos americanos na história do Canadá.

Isto desencadeou a disputa sobre a responsabilidade histórica. Uma das acusações é que muitas crianças indígenas foram forçadas a frequentar a escola em más condições de higiene. As crianças indianas deveriam ser educadas à força na cultura e na língua anglo-canadenses, é outra alegação.

Ativistas de esquerda nos EUA e Canadá vêem cada vez mais a igreja como um símbolo do colonialismo e do “imperialismo branco”. Os recentes incêndios em igrejas no Canadá foram acompanhados por reviravoltas e profanação de monumentos históricos.

Fonte: Freiewelt

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui