O Irã reforça sua influência militar na Venezuela. Intervenção estrangeira?

0

Onde fica a independência da Venezuela? China, Rússia e Irã podem entrar lá e treinar militares. O Ocidente não pode?

O Irã reforça sua influência militar sobre a Venezuela. Atualmente, realiza cursos para militares venezuelanos para treiná-los em questões de propaganda e guerra civil.

O comissário presidencial para as relações exteriores, Julio Borges, informou que o regime de Nicolás Maduro busca controlar ainda mais as comunicações entre os militares venezuelanos e a população civil.

“Temos informações de que conselheiros militares iranianos realizaram cursos para as forças armadas nacionais da Venezuela (FANB) sobre propaganda e guerra civil prolongada. Isso faz parte dos esforços que Cuba já vem realizando para exercer controle sobre as comunicações dos vários comandos da FANB ”, afirmou Borges.”

Serviços de inteligência: Irã, Cuba, Maduro

“Agora, o Irã se uniu aos esforços de Cuba para ajudar Maduro em assuntos de inteligência a censurar ainda mais os venezuelanos e implementar novos mecanismos de espionagem e repressão.

A afirmação de Borges não é surpreendente. Devemos lembrar que em maio, foi revelado que, com a ajuda do Irã, o regime de Nicolás Maduro estaria instalando um centro de operações no norte da Venezuela para monitorar todas as comunicações aéreas e marítimas.

O comissário presidencial de segurança, Iván Simonovis, revelou que o centro de operações estaria localizado em Cape San Roman, no estado de Falcon, no noroeste da Venezuela.

Aliança de duas décadas: petróleo, militares, inteligência

Caracas e Teerã mantêm uma aliança há duas décadas, que consolidam com acordos de cooperação em diferentes áreas, desde serviços de inteligência, técnicos militares, remessas de combustível até a instalação de um novo supermercado.

Além de montar o primeiro supermercado iraniano na Venezuela, técnicos iranianos estão ajudando Maduro a recuperar aeronaves militares. Além disso, houve supostos esforços para estabelecer um centro de operações para espionagem na Venezuela. A bandeira iraniana já foi vista nas agências de inteligência da tirania de Maduro.

Vamos aguardar o pronunciamento da ONU, suposta defensora da independência e soberania das Nações, da OEA e da Comissão dos Direitos Humanos.

Em tempo, será que na Venezuela os governadores podem fazer acordos paralelos com outros Países e contrariar Maduro, como têm feito alguns do PT e PSDB, no Brasil? Ou será que Maduro exige fidelidade total?

Se o PT estivesse no Poder quem estava sustentado Maduro seria o bolso dos brasileiros. Ainda bem que isso se foi.

fonte: ipco.org e panampost.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui