O aborto termina após sonho com Santo Tomás de Aquino

0
Fonte: pantokrator.org.br

Abortista da Sérvia comunista relata que parou de fazer abortos após sonho com Santo Tomás de Aquino

Pesadelos e sonhos com crianças atormentaram Stojan Adasevic por anos enquanto ele trabalhava como abortista na Sérvia comunista. Stojan decidiu que se recusaria a participar de mais abortos após sonho no qual Santo Tomás de Aquino afirmou que aquelas crianças eram as que ele havia abortado.

Em 26 anos, Stojan abortou aproximadamente 48.000 crianças, incluindo seus próprios parentes. De acordo com seu país comunista, ele estava apenas removendo gotas de tecido.

O National Catholic Register relata que Stojan teve uma experiência de conversão, parcialmente como resultado de seus sonhos, e agora ele é um dos mais fortes defensores da vida de bebês ainda não nascidos na Europa Oriental.

Ao descrever sua conversão a La Razon, Adasevic “sonhou com um belo campo cheio de crianças e jovens que brincavam e riam, dos quatro aos 24 anos de idade, mas que fugiam dele com medo. Um homem vestido com um hábito em preto e branco olhou para ele em silêncio. O sonho se repetia a cada noite e ele acordava suando frio.

Uma noite, Stojan perguntou ao homem de preto e branco em seu sonho assustador sua identidade.

“Meu nome é Tomás de Aquino”, ele respondeu. Stojan, educado em escolas comunistas que incentivavam o ateísmo em vez de aprender de verdade, não reconheceu o nome do santo dominicano.

Stojan perguntou ao visitante noturno: “Quem são essas crianças?”

“São as que você matou com seus abortos”, St. Tomás disse a ele sem rodeios e sem preâmbulos.

Stojan acordou em choque e com medo. Ele decidiu que se recusaria a participar de mais abortos.

Foi difícil seguir sua decisão no dia seguinte, quando ele entrou no trabalho. Stojan disse que um de seus primos veio ao hospital com sua namorada grávida. Eles queriam um aborto, e ele concordou com relutância, de acordo com o relatório.

A experiência foi horrível. No documentário “The First Hour”, ele descreveu o que aconteceu:

Peguei algo, esmaguei um pouco, tirei e joguei em um pano. Eu olho e vejo uma mão – uma mão bastante grande. A criança tinha 3, talvez 4 meses de idade. Eu não tinha fita para medir.

(…) Enquanto retiro a bagunça, pensando que serão fragmentos de ossos, coloco-a no pano, olho e vejo um coração humano, contraindo-se e expandindo-se e batendo, batendo, batendo. Eu pensei que ficaria louco. Eu posso ver que o batimento cardíaco está diminuindo, cada vez mais devagar e mais devagar, até que finalmente para completamente. Ninguém poderia ter visto o que eu tinha visto com meus próprios olhos, e estar mais convencido do que eu – eu havia matado um ser humano.

A experiência deixou Stojan tão chocado que ele imediatamente disse ao hospital que nunca faria outro aborto.

Por estar morando em um país comunista, as condenações de Stojan causaram problemas para ele e sua família. Segundo o Register, o governo cortou seu salário pela metade, demitiu a filha do emprego e se recusou a deixar o filho frequentar a faculdade.

Foi outro sonho de São Tomás de Aquino que encorajou Stojan a não desistir de seu novo compromisso de proteger a vida. No sonho, ele disse que o santo o tranquilizou e o inspirou a perseverar.

Stojan rapidamente se envolveu no movimento pró-vida em seu país – trabalho que ele continua até hoje, informa o Register. Ele compartilhou sua história e a verdade sobre a vida de bebês ainda não nascidos para pessoas de toda a Europa Oriental através da TV, jornais e outros meios de comunicação, de acordo com o relatório.

Fonte: lifenews.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui