“Não queiram que um homem só mude o destino do Brasil”, afirmou Jair Bolsonaro em discurso

0
(Brasília - DF, 16/01/2020) Presidente da República, Jair Bolsonaro durante Solenidade de Passagem de Comando da Operação Acolhida.rFoto: Alan Santos/PR

Durante a Solenidade de Passagem de Comando da Operação Acolhida no Palácio do Planalto, o Presidente da República Jair Bolsonaro faz uma convocação a todos os presentes

Durante a Solenidade de Passagem de Comando da Operação Acolhida no Palácio do Planalto, na última quarta (16), o Presidente da República Jair Bolsonaro convocou todos os presentes a assumirem seus postos com responsabilidade. Bolsonaro também falou à imprensa, e aos refugiados venezuelanos ali presentes.

Eu  “preciso de vocês, nós precisamos uns dos outros. Agradeço a Deus, mais uma vez, pela oportunidade da minha vida e do verdadeiro milagre da eleição, disse o presidente em “discurso do coração”, como ele mesmo afirmou. Mudar o Brasil também está nas mãos dos 22 ministros, falou Bolsonaro à Sérgio Moro.

E continuou, dizendo: “a responsabilidade de todos vocês é enorme. Não dê chance para essa esquerda, eles não merecem ser tratados como se fossem pessoas normais, que quisessem o bem do Brasil. Isso é mentira. Não podemos chegar em [20]22 na situação que chegou a Argentina no corrente ano, ou como está caminhando, infelizmente, um grande e próspero país, que é o Chile, caminhando para o caos, caminhando para o socialismo”.

Voltando-se à imprensa o presidente solicitou: “comecem a produzir verdade, porque só a verdade pode nos libertar”. Afinal de contas, essa é a obrigação de vocês, não é nenhum favor, não”. Bolsonaro pediu que  os meios de difusão de informação tomem vergonha na cara e deixem o governo em paz para que possa governar em paz. Afirmou, também, que não tomará medidas de censura.

“Se tenho coragem de falar isso agora é porque eu tenho consciência do que acontece no governo”, disse o presidente.

Complementou falando que há pouco a imprensa estava divulgando “barbaridades sobre a possível taxação do aço e do alumínio”. O problema foi resolvido, mas nenhuma linha foi escrita”.

A grande imprensa também atacou o governo brasileiro em virtude da Argentina, há poucas semanas, ter prioridade para a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). “Não temos uma briga contra a Argentina. O comércio mundial não tem amizades. Conseguimos mudar a situação. Essa nossa imprensa também não diz nada”, afirmou.

O presidente disse, também, que tem plena consciência de suas limitações, mas que tem a humildade de sempre perguntar e discutir com quem está do seu lado, inclusive utilizando as mídias sociais.

Irmãos da Venezuela que estão aqui, disse o presidente, “se tivesse aqui o Haddad, vocês não estariam aqui. Ele estaria lá com o Maduro”.

Bolsonaro afirmou que em 2016, mais uma vez, os brasileiros se livraram desse mal que está assolando os Venezuelanos.  No entanto, esse mal nunca deixou de rondar o Brasil.

“Crianças que, com toda certeza, gostariam de estar ao lado dos seus pais, dentro do seu solo venezuelano”, estão aqui, agora, afirmou o presidente.

“Eu acredito em Deus. Deus, para mim, sempre esteve e sempre estará acima de tudo. Porque também eu tenho uma filha da idade desse garoto e quero para ela um Brasil melhor do que nós temos no momento, longe do que esses pobres irmãos da Venezuela têm também”.

Disse também que pede a Deus que continue abençoando o Brasil, e que abra a mente daqueles que ainda estão do lado da esquerda. “Essa maldita esquerda que não deu certo em lugar nenhum do mundo”, acrescentou.

O presidente agradeceu a Deus pelo momento de reflexão e por tê-lo “escolhido para conduzir o destino dessa pátria maravilhosa chamada Brasil”

“Brasil e Venezuela acima de tudo. Deus acima de todos”, finalizou o presidente.

Discurso completo do presidente na Solenidade aqui.

Fonte: Planalto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui