Mídia estatal chinesa: “se Biden mantiver política de Trump na China, a América está condenada”

0
Foto: LINTAO ZHANG / AFP por meio do Getty Images / Divulgação.

Em primeiro lugar, o jornal comunista chinês instruiu Biden a parar de culpar a China por desencadear a pandemia do coronavírus

O jornal estatal chinês Global Times alertou na quinta-feira (21) o presidente Joe Biden que a América está “condenada”, a menos que ele adote políticas mais amigáveis ​​aos interesses da China do que seu antecessor imediato, Donald Trump.

O Global Times lamentou brevemente o fato de Biden não ter mencionado a China em seu discurso inaugural antes de lançar uma descrição detalhada do que ele deveria começar a dizer se quiser “remediar o dano profundo deixado por Trump e se engajar novamente com o mundo”, particularmente “a relação bilateral mais importante do mundo” – aquela entre a América em declínio e a China em ascensão.

Em primeiro lugar, o jornal comunista chinês instruiu Biden a parar de culpar a China por desencadear a pandemia do coronavírus, como fez Trump.

“Especialistas chineses” temiam que Biden “herdasse e continuasse a estratégia dura” formulada pelas “forças conservadoras anti-China” e expressaram frustração com o fato de algumas das escolhas de gabinete de Biden parecerem inclinadas a “continuar algumas das políticas linha-dura de Trump”.

Um dos especialistas do Global Times, Lu Xiang, da Academia Chinesa de Ciências Sociais em Pequim, propôs esportivamente que os indicados de Biden estavam apenas falando duro para “agradar às diferentes forças políticas” no Congresso e poderiam ser mais amigáveis ​​a Pequim, uma vez que ocupassem seu escritórios.

Como acontece com a maioria da propaganda estatal chinesa atualmente, o Global Times deu uma pequena volta da vitória do coronavírus, citando o conselho do reitor-associado Jin Canrong, da Universidade Renmin, para que Biden se tornasse esperto e começasse a emular o sistema superior da China em vez de combatê-lo:

“Desde 2018, o governo Trump ativou uma ‘abordagem de todo o governo’ para lidar com a China e tentou de tudo, exceto uma guerra real para confrontar a China, incluindo uma guerra comercial, lutas ideológicas, sanções contra empresas de alta tecnologia, propaganda e estigmatização, pressão militar e apoio de separatistas e secessionistas para prejudicar a soberania da China.

Mas o resultado de todos esses esforços não teve o impacto desejado, pois a abordagem não impediu o desenvolvimento da China nem impactou muito o setor de exportação da China. Como a China acabou sendo a única grande economia a ter apresentado crescimento econômico positivo em 2020, muitas empresas e consumidores americanos pagaram um preço alto devido às decisões imprudentes tomadas pelo governo Trump, disse Jin.

Portanto, desde que a equipe de Biden não seja estúpida como a equipe de Trump, haverá algumas mudanças na tática”, observou Jin.

Lu alertou que os Estados Unidos estão “condenados”, assim como a falecida União Soviética, se Biden acabar sendo apenas “outro Trump com melhores maneiras à mesa”. Ele disse que evitar a desgraça exigirá que os EUA abandonem sua busca inútil para “conter a China” e se concentrem em seus muitos problemas domésticos.

Lu recomendou que os Estados Unidos abandonassem imediatamente suas tarifas e proibições às vendas americanas de componentes de alta tecnologia para a China, descrevendo-as como políticas “autolesivas”. Os editores do Global Times pediram para Biden abandonar unilateralmente o processo contra o executivo da Huawei, Meng Wanzhou, por violações das sanções.

Jin sugeriu que o melhor “quebra-gelo” para acabar com a hostilidade dos EUA em relação à China seria a “mudança climática”, uma vez que Biden aceita a superioridade chinesa e desenvolve a humildade necessária para pedir a ajuda de Pequim para salvar o planeta.

“Não temos certeza do que Biden fará em seus primeiros 100 dias, mas podemos dizer que ele deve fazer algum progresso nestas questões”. Se ele quiser usar o legado de Trump como moeda de troca para pressionar a China na mesa de negociações, os Estados Unidos pagarão um preço mais alto. Acreditamos que Biden é mais esperto que Trump”, concluiu Lu.

Analistas políticos americanos geralmente esperam que a política de Biden para a China seja muito diferente da de Trump, embora discordem bastante sobre como. Eles geralmente esperam que Biden pressione a China por concessões em direitos humanos enquanto desmantela grande parte da resistência de Trump à agenda estratégica e econômica de Pequim.

Fonte: Breitbart

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui