Legislativo apresenta projeto de lei que permite aos americanos processar a China por pandemia

0

“Proprietários de empresas e famílias que perderam entes queridos merecem justiça”

“O Partido Comunista da China deve enfrentar conseqüências por seu papel na origem e disseminação do coronavírus”, disse a senadora Marsha Blackburn (R-Tenn.) em um comunicado de 20 de abril.

O Congresso está atualmente em recesso até pelo menos maio, como parte de medidas de distanciamento social para impedir a propagação do vírus do PCC.

O vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), comumente conhecido como o novo coronavírus, teve origem na cidade de Wuhan, no centro da China. O regime chinês inicialmente ocultou o surto através de medidas que incluíram silenciar oito médicos que foram às mídias sociais chinesas para alertar as pessoas sobre uma nova forma de pneumonia no final de dezembro.

Desde então, o vírus se espalhou para mais de 200 países e territórios, causando mais de 43.500 mortes apenas nos Estados Unidos.

“Os custos são devastadores: trilhões de dólares em danos econômicos, mais de 22 milhões de empregos perdidos nos EUA e mais de 150.000 mortes no mundo todo. Proprietários de empresas e famílias que perderam entes queridos merecem justiça”, disse Blackburn.

Atualmente, os americanos enfrentam barreiras em processos contra o regime chinês nos tribunais dos EUA porque os governos estrangeiros desfrutam de proteção garantida pela Lei de Imunidades Soberanas no Exterior (FSIA), uma lei dos EUA que isola os países de serem processados ​​nos Estados Unidos.

A nova legislação, denominada “Stop COVID Act of 2020”, eliminaria a imunidade soberana dos estados sob a FSIA, se algum estado tivesse “intencionalmente ou não intencionalmente, descarregado um agente biológico … resultaria em lesão corporal, morte, ou danos à propriedade de um nacional dos Estados Unidos”.

“Nossa legislação irá permitir que os americanos entrem com ações contra o Partido Comunista Chinês por seu papel na perpetuação da disseminação global do coronavírus, proporcionando aos EUA um pouco de justiça”, afirmou a co-patrocinadora da medida, disse a senadora Martha McSally (R-Ariz.), de acordo com o comunicado.

Um projeto de lei complementar (H.R. 6444) foi apresentado na Câmara dos Deputados em 3 de abril pelo deputado Lance Gooden (R-Texas).

“Neste momento, a Lei de Imunidades Soberanas Estrangeiras é um escudo para o Partido Comunista Chinês se esconder atrás. Precisamos mudar isso”, disse Gooden no comunicado de imprensa.

A legislação vem em meio a crescentes pedidos de autoridades dos EUA para responsabilizar Pequim pela pandemia.

Escritório de advocacia da Flórida The Berman Law Group, em parceria com o escritório de lobby Lucas Compton, com sede em Washington, entrou com uma ação coletiva contra o regime chinês em 12 de março, alegando que o encobrimento inicial de Pequim resultou na pandemia mundial.

A ação “busca bilhões de dólares em indenizações compensatórias para aqueles que sofreram ferimentos pessoais, mortes ilícitas, danos à propriedade e outros danos devido à falha da China em conter o vírus COVID-19, apesar de sua capacidade de interromper a propagação do vírus em sua fase inicial”, de acordo com uma declaração do escritório de advocacia.

A ONG Shurat HaDin, de Tel Aviv, também anunciou que planeja entrar com uma ação coletiva contra o regime chinês nos Estados Unidos, por suposta negligência de Pequim em conter o vírus, de acordo com um artigo de 19 de abril do The Jerusalem Post.

Outros legisladores dos EUA introduziram legislação semelhante para permitir que os americanos processem a China por danos causados ​​pela pandemia do vírus do PCC.

Na semana passada, o senador Tom Cotton (R-Ark.) e o deputado Dan Crenshaw (R-Texas) apresentaram um projeto de lei em ambas as câmaras do Congresso e modelaram a Lei de Justiça Contra Patrocinadores do Terrorismo (JASTA) para alterar a FSIA. O projeto criaria uma “exceção estreita por danos causados ​​pelo manuseio perigoso da China”, segundo um comunicado.

Em 17 de abril, os representantes Chris Smith (R-NJ) e Ron Wright (R-Texas) apresentaram o H.R. 6524, um projeto que, semelhante ao JASTA, permitiria que as vítimas processassem um país estrangeiro.

“Meu projeto de lei retira a China, e qualquer outro país que intencionalmente iluda a OMS sobre sua imunidade soberana, e permite que os americanos processem o governo chinês em tribunal pelos danos que sofreram como consequência das distorções da China sobre a seriedade e natureza do novo coronavírus diante do mundo”, disse Smith, de acordo com um comunicado de seu escritório.

Fonte: Epoch Times

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui