Jornal chinês ameaça proibir exportação de medicamentos aos EUA

0

Se proibirmos a exportação de medicamentos, os EUA caem no “inferno” do coronavírus, diz jornal chinês

Fonte: Lifesitenews

Um jornal chinês controlado pelo comunismo ameaçou que se a China proibisse a exportação de medicamentos e remédios para os Estados Unidos (EUA), os EUA ficariam impotentes para combater uma epidemia.

Atingido pelos Estados Unidos fechando suas fronteiras aos viajantes do país devastado pelo coronavírus, o serviço de notícias controlado pelo estado chinês Xihua declarou: “Se a China retaliar contra os Estados Unidos neste momento, além de anunciar uma proibição de viagem aos Estados Unidos, anunciará também o controle estratégico sobre produtos médicos e proibirá as exportações para os Estados Unidos”.

“Então os Estados Unidos serão apanhados no oceano de novos coronavírus”, continuou.

“Também de acordo com os oficiais do CDC dos EUA, a maioria dos medicamentos nos Estados Unidos são importados… Se a China proibir as exportações, os Estados Unidos cairão no inferno de uma nova epidemia de pneumonia por coronavírus”.

Apesar da COVID-19 originária da China, a Xinhua tentou salvar a face dizendo a seus leitores que o mundo deveria agradecer ao país por sua resposta à pandemia baseada em Wuhan.

“Devemos dizer com justiça que os EUA devem um pedido de desculpas à China; o mundo deve um agradecimento à China”, declarou o jornal.

Além disso, Xihua insinuou que os próprios americanos tinham trazido a doença para Wuhan.

A possibilidade de a China se recusar a vender medicamentos e suprimentos médicos para os EUA já havia ocorrido ao anfitrião da Fox News, Tucker Carlson, que em fevereiro criticou membros da elite americana por venderem o seu país aos interesses econômicos chineses. A Fox News informou que as empresas farmacêuticas chinesas fornecem entre 80% e 90% dos antibióticos dos EUA, 70% de acetaminofeno e cerca de 40% de heparina.

O colunista Mark Steyn disse hoje no “Rush Limbaugh Show” que o partido comunista chinês está no comando de toda a cadeia farmacêutica americana.

Os comunistas chineses estão mirando nos cidadãos que criticam o governo pela forma como este está lidando com a crise. Um magnata chinês que criticou o ditador Xi Jinping desapareceu agora.

O promotor imobiliário e membro do Partido Comunista Ren Zhiquiang chamou o ditador de “palhaço” após um discurso que Xi fez sobre a resposta da China. Os amigos de Ren dizem que ele desapareceu. Em declaração à agência de notícias Reuters, Wang Ying disse que seus amigos estavam procurando por Ren e estavam “extremamente ansiosos”.

“Ren Zhiqiang é uma figura pública e o seu desaparecimento é amplamente conhecido”, disse ela.

“As instituições responsáveis por essa necessidade devem dar uma explicação razoável e legal para isso o mais rápido possível”, disse ela.

A Reuters tentou contatar Ren por telefone, mas não teve sucesso.

“Ainda é cedo, mas o desaparecimento de Ren é preocupante”, disse à LifeSiteNews David Mulroney, ex-embaixador canadense na China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui