Ingleses criticam a política sanitária do governo e manifestam-se em frente à BBC

0

Acusações: reportagens unilaterais, emissora estatal

Na segunda-feira (9 de agosto), por volta das 13 horas, hora local, grande número de manifestantes reuniu-se em frente à estação de transmissão da BBC (British Broadcasting Company) em Wood Lane, em Londres. Protestaram ruidosamente contra a política sanitária no país, sobretudo contra as reportagens unilaterais da emissora sobre a política sanitária do governo. Disseram que a BBC tinha se transformado numa emissora estatal, porta-voz do governo, e que não representava a opinião do povo.

De acordo com as informações, a manifestação de protesto foi organizada por um grupo que se intitula “Voz Oficial”. Nas suas páginas nas redes sociais, a Voz Oficial” denuncia que o coronavírus em si não é o problema, mas que “a mídia é o problema”. E que “as mentiras dela devem cessar”, afirma.

Os agentes policiais enviados ao local formaram uma corrente para impedir a entrada dos manifestantes no prédio da emissora. No entanto, eles não fizeram nenhuma tentativa real de invadir o edifício. Houve algumas discussões, e os manifestantes ficaram bastante satisfeitos por poderem expressar os seus protestos e opiniões diante da emissora. Em consequência, não houve detenções pela polícia e nem feridos em nenhum dos lados. Isto é completamente diferente da brutal ação policial promovida pelo Senador de Berlim-Interior, Andreas Geisel (SPD).

Aparentemente, os protestos surtiram efeito. A proposta do governo Boris Johnson, de excluir pessoas não vacinadas da participação em vários eventos culturais, não vem sendo implementada em alguns casos. Na Câmara dos Comuns, de qualquer maneira, esses planos não foram bem recebidos. Um grupo de 50 parlamentares se formou para se opor a esses projetos. Seu porta-voz, Mark Harper, do Partido Conservador, disse que o governo deveria parar de ameaçar o povo do país. E deveria se concentrar melhor em educar os cidadãos e incentivá-los o máximo possível a se vacinarem.

A BBC, tal como a ARD e a ZDF na Alemanha, é financiada por uma taxa obrigatória paga pelos contribuintes, atualmente equivalente a cerca de 175 euros por ano. Os apelos à abolição desta taxa obrigatória estão sendo repetidamente reiterados, e até o atual chefe do governo, Boris Johnson, é considerado um defensor desta abolição. No entanto, o fim da “taxa de licença” ainda não foi implementado.

Fonte: Die Freie Welt

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui