Há anos fundação de Bill Gates, OMS, Unicef e NIACI debatem vacinação global

0

Recentemente surgiram especulações sobre o envolvimento do bilionário Bill Gates com a pandemia que nasceu na China e que ora paralisa boa parte do mundo. Isso porque em 2019, menos de dois meses antes do início do surto do vírus chinês, Gates esteve envolvido em uma evento que simulava uma pandemia, o Event 201: a global pandemic exercise. Muito anterior, porém, é o envolvimento de Bill Gates com questões relativas à vacinação como prevenção de doenças.

Em maio de 2011, a 65ª Assembleia Mundial da Saúde [órgão decisório da OMS] acolheu a ideia de se fazer da década 2011-2020 um tempo destinado à vacinação e de se preparar um Plano de Ação Mundial de Vacinação para o mesmo período, documento finalizado e apresentado na mesma Assembleia no ano seguinte (2012). Assinaram o Plano as seguintes autoridades mundiais em saúde:

Dr. Seth Berkley – Diretor Executivo da Aliança Global para Vacinação e Imunização [em inglês, GAVI];

Dra. Margaret Chan – Diretora Geral da Organização Mundial da Saúde;

Dr. Christopher Elias – Presidente do Programa de Desenvolvimento Mundial da Fundação Bill e Melinda Gates;

Dr. Anthony Fauci – Diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos;

Sr. Anthony Lake – Diretor Executivo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF); e

Sra. Joy Phumaphi – Secretária Executiva da Aliança de Líderes Africanos contra a Malária.

O documento insiste que a imunização é uma das intervenções sanitárias mais exitosas e rentáveis conhecidas.

Diz ainda,

A imunização é componente essencial do direito humano à saúde, além de responsabilidade dos indivíduos, comunidades e governos…”

E em outra parte,

Em muitos aspectos, o século passado foi o século do tratamento e teve como resultado uma redução considerável da mortalidade graças ao descobrimento e a utilização dos antibióticos […] Este século promete ser o das vacinas, com a possibilidade de erradicar, eliminar ou controlar numerosas doenças infecciosas graves, potencialmente mortais ou debilitantes e com a imunização como núcleo das estratégias de prevenção. Um importante passo nesta direção consiste em assegurar que a visão do Decênio das Vacinas se faça realidade.

Por coincidência ou não, justo no último ano da Década da Vacinação (2020), as maiores nações estão prostradas clamando por uma vacina que cure a pandemia do vírus chinês.

Dois anos atrás o próprio Gates já dizia que uma gripe semelhante à gripe espanhola poderia ceifar 30 milhões de pessoas em 6 meses.

Originalmente escrito por Lucas Henrique F. de Mattos para o Centro Dom Bosco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui