França: Macron lança programa para ensinar árabe em escolas francesas

0

Macron assinou um decreto autorizando o novo programa em 2 de maio

Embora a França esteja lutando com o “lockdown” em andamento para tentar conter o surto de coronavírus Wuhan (COVID-19), o presidente Emmanuel Macron não negligenciou a necessidade de as escolas francesas começarem a ensinar árabe. Ele assinou um decreto autorizando o novo programa em 2 de maio.

O objetivo do programa é garantir a “diversidade linguística”, e ofertaria aulas de árabe a estudantes de escolas francesas desde a primeira série até os cursos universitários. O projeto é desenvolvido em cooperação com as autoridades da Tunísia, de acordo com um relatório da Valeurs Actuelles.

O decreto foi assinado por Macron, o primeiro-ministro Édouard Philippe e o ministro de Relações Exteriores Jean-Yves Le Drian. A Tunísia terá uma palavra a dizer na seleção de professores entre sua própria população que participará do programa, entre suas contribuições. A Tunísia foi uma colônia francesa do século XIX até 1956 e é membro da Organização Internacional da Francofonia (Organização Internacional dos Francofones).

Árabe é a segunda língua mais falada no país

O programa não se limitará apenas ao ensino da língua árabe, mas também incluirá educação na história e cultura árabe, com ênfase especial na cultura da Tunísia. Atualmente, o árabe é a segunda língua mais falada no país, depois do francês.

Políticos do partido de direita do Rally Nacional já manifestaram sua desaprovação pelo decreto. “O governo antinacional planeja ensinar árabe a partir do ensino fundamental, numa idade em que as crianças mal descobriram o idioma francês”, afirmou em comunicado Jean Messiha, subsecretário adjunto de Administração do Ministério da Defesa do Rally Nacional. “A arabização e a islamização da França estão em marcha.”

Os defensores do programa afirmam que é importante para todos os estudantes franceses, e não de ascendência árabe, aprender mais sobre a comunidade árabe em rápido crescimento, tanto em casa quanto no exterior. Em resposta, o presidente do National Rally, Marine Le Pen, disse que “é claro que existe uma grande cultura árabe, mas essa é a França, e eu quero que aprendamos a cultura francesa”.

A crescente influência da língua, religião e cultura árabe na França está se tornando uma questão cada vez mais controversa para o francês nativo. No ano passado, uma pesquisa revelou que 61% dos cidadãos franceses acreditam que a cultura islâmica é incompatível com a cultura francesa, conforme relatado anteriormente pela Voice of Europe.

Fonte: Voice Of Europe

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui