“Evidência enorme” liga vírus do PCC ao laboratório de Wuhan, diz Pompeo

0

Novo coronavírus, se espalhou rapidamente pela província de Wuhan e Hubei em 2019

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que há evidências ligando o vírus do PCC ao laboratório em Wuhan, na China, cidade onde o vírus se originou.

“Posso dizer que há uma quantidade significativa de evidências de que isso veio daquele laboratório em Wuhan”, disse Pompeo ao “This Week”, da ABC, no domingo. “Não é a primeira vez que o mundo é exposto a um vírus resultado de falhas em um laboratório chinês”.

O vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), um novo coronavírus, se espalhou rapidamente pela província de Wuhan e Hubei no ano passado. Críticos disseram que o encobrimento e a má administração do regime permitiram que o vírus se espalhasse por toda a China antes de ser transmitido para todo o mundo.

Pompeo se recusou a dizer se acreditava que o vírus havia sido intencionalmente liberado pelo Instituto de Virologia de Wuhan, um laboratório de alta segurança, onde os pesquisadores estudavam como os coronavírus podem ser transmitidos de animais para humanos.

“Há uma enorme evidência de que foi aqui que começou”, disse Pompeo, referindo-se ao laboratório. “Dissemos desde o início que este é um vírus que se originou em Wuhan, na China. Sofremos muito por isso desde o início. Mas acho que o mundo inteiro pode ver isso agora”.

Ele acrescentou: “Lembre-se, a China tem uma história de infectar o mundo”, provavelmente se referindo ao encobrimento do PCC do surto de SARS no início de 2000.

Laboratórios operacionais abaixo do padrão

O regime chinês também tem “uma história de laboratórios operacionais abaixo do padrão”, acrescentou Pompeo. “Não é a primeira vez que o mundo é exposto a vírus como resultado de falhas em um laboratório chinês”.

Na quinta-feira, o presidente Donald Trump também afirmou que viu evidências ligando o vírus ao laboratório chinês. “Sim, sim, eu vi”, disse Trump a repórteres quando perguntado sobre o link.

Quando pressionado a dar detalhes, Trump disse: “Não posso lhe dizer isso. Não tenho permissão para lhe contar. “Trump também observou que o PCC pode não ter sido capaz de impedir a propagação do vírus ou ele permitiu intencionalmente sua disseminação”.

Na semana passada, o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional disse que as agências de inteligência concluíram que o vírus do PCC não havia sido fabricado pelo homem e não foi geneticamente modificado. No entanto, o chefe da agência disse que ainda está investigando se o vírus foi acidentalmente liberado do laboratório de virologia em Wuhan.

Na entrevista de domingo, Pompeo também não disse se acreditava que o vírus era artificial, mas admitiu que finalmente concordou com o relatório do diretor da Inteligência Nacional: “Vi o que a comunidade de inteligência disse. Não tenho motivos para acreditar que estão errados”.

Independentemente de onde o vírus se originou, o PCC “se comportou como os regimes autoritários, tentando ocultar, esconder e confundir”, disse Pompeo durante uma entrevista à ABC. “Ele usou a Organização Mundial de Saúde como uma ferramenta para fazer o mesmo”.

O secretário também observou chamadas da Austrália e de outros países europeus para investigar como o PCC lidou com os estágios iniciais da pandemia.

“Acho que o mundo inteiro está unido no entendimento de que a China trouxe esse vírus ao mundo”, concluiu Pompeo.

Fonte: Epoch Times

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui