EUA: Juiz remove criança de 6 anos de idade da mãe por não usar máscara enquanto a deixava na escola

0
Shutterstock/Divulgação.

O tribunal também a proibiu de ver e falar com sua filha em seu sexto aniversário

Um juiz da Suprema Corte da cidade de Nova York retirou o direito de custódia de uma mãe de sua filha de 6 anos por não usar máscara enquanto a deixava na escola, de acordo com um relatório do Gateway Pundit. Agora, a mãe pode fazer apenas duas visitas supervisionadas por semana à sua filha, desde que esteja usando máscara.

A médica de família, Micheline Epstein, disse ao Gateway Pundit que depois de deixar sua filha na Birch Wathen Lenox School no Upper East Side de Manhattan, a enfermeira e a segurança da escola tentaram forçá-la a “usar uma máscara na rua pública em frente ao edifício onde ocorre o desembarque”, mas Epstein recusou.

A escola posteriormente enviou uma carta para a mãe e seu ex-marido, informando-os de que Epstein não tinha mais permissão para deixar ou pegar sua filha na escola.

A escola não respondeu ao pedido de comentário do Gateway Pundit. Um telefonema do jornal LifeSiteNews para Birch Wathen Lenox School foi recebido com a mensagem: “Nosso sistema telefônico está atualmente em uma rotina de manutenção e retornará ao serviço o mais rápido possível”.

O site do governo da cidade de Nova York cita uma lei do estado de Nova York (NYS) que exige que “todas as pessoas com mais de 2 anos que podem tolerar medicamente uma cobertura facial usem uma quando estiverem em público, caso não consigam manter pelo menos 2 metros de distância dos outros”

O ex-marido de Epstein usou a carta da escola “para solicitar uma audiência de emergência para custódia total – que o juiz Matthew F. Cooper concedeu depois de repreender a mãe já emocionalmente devastada”, de acordo com o Gateway Pundit.

Epstein agora tem permissão para visitar sua filha apenas duas vezes por semana e deve estar usando máscara. As visitas devem ser supervisionadas, relatou o Gateway Pundit. Normalmente, a supervisão das visitas dos pais só é exigida nos casos em que haja perigo de danos físicos ou emocionais à criança.

O tribunal também “decidiu que a mãe não tem permissão para tirar sua filha” da escola e a proibiu de ver e falar com sua filha em seu sexto aniversário.

“Dr. Epstein está atualmente trabalhando em três empregos para pagar não apenas as despesas de suas filhas, mas também os seis advogados que ela contratou para lutar contra o que ela está se referindo como o sequestro de sua filha”, relatou o Gateway Pundit.

A Dra. Epstein estava supostamente em lágrimas ao contar o que aconteceu. “Ela é o amor da minha vida”, disse ela ao Gateway Pundit. “É horrível. Por favor nos ajude.”

O juiz Matthew Cooper, que tirou Epstein da custódia de sua filha, foi processado em 2017 por agressão e espancamento depois de ter amaldiçoado e cuspido em um ex-advogado de patentes de Mintz Levin. Ele também foi criticado por se deleitar abertamente com sua capacidade de manter as pessoas em desacato ao tribunal.

“Não há nada como ameaçar alguém. Essa é uma das coisas pelas quais eu vivo no trabalho”, disse Cooper em uma filmagem lançada em 2015. O vídeo foi recebido com comentários como “Conduta vergonhosa para um juiz da Suprema Corte”.

Fonte: Life Site News

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui