EUA e Brasil lideram coalizão afirmando família e o direito à vida no comitê inter-americano

0
The married couple forming a heart shape with hands on the pregnant belly of the woman

‘a família é a unidade natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado’, diz declaração da coalizão

Uma declaração conjunta de delegações dos Estados Unidos, Brasil, Guatemala, Honduras, Paraguai, Colômbia, Bolívia, Santa Lúcia e Venezuela (representantes de Juan Guaido, não do regime de Maduro) disse hoje à Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA) 2020 que “todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança de sua pessoa” e declarou seu compromisso de defender “o direito soberano das nações de fazerem suas próprias leis relacionadas à proteção da vida desde o momento da concepção. ”

A OEA é uma organização internacional regional, semelhante às Nações Unidas, fundada em 1889 e na qual estão representados todos os 35 estados independentes das Américas. Este ano, sua Assembleia Geral foi oficialmente convocada em Washington, D.C., embora com participantes participando via webconferência devido ao COVID-19.

Citando a Carta Social das Américas, documento da OEA de 2012, as delegações também enfatizaram que “a família é a unidade natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado” e declararam seu compromisso de trabalhar juntos para “ proteger a família como base para a sociedade e como fonte de saúde, apoio e cuidado em todas as Américas ”.

As delegações devem apresentar a mesma declaração conjunta na quinta-feira (22) no Comitê das Nações Unidas sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, grupo de trabalho pré-sessão reunido em Genebra.

O governo Trump tem trabalhado consistentemente para defender a vida e se opor ao aborto nas Nações Unidas, desde resistir a itens da agenda pró-aborto e linguagem de resolução até afirmar que o aborto não é um direito humano e promover educação para a abstinência. No início deste ano, Trump anunciou que os EUA cortariam os laços com a Organização Mundial da Saúde (OMS) pró-aborto devido ao tratamento da crise do coronavírus.

Fortalecendo a Família e os Direitos das Mulheres de Todas as Idades

DECLARAMOS nosso compromisso de trabalhar juntos durante a pandemia de COVID-19 e além para:

  1. Garantir o pleno gozo de saúde, direitos humanos e oportunidades iguais para as mulheres em todos os níveis da vida política, econômica e pública.
  1. Proteger a família como base para a sociedade e como fonte de saúde, apoio e cuidado em todas as Américas.
  1. Defender o direito soberano das nações de fazer suas próprias leis relacionadas à proteção da vida desde o momento da concepção. Trabalhar solidariamente até que esses objetivos sejam plenamente cumpridos.

Fonte: Life Site News

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui