EUA: Ação contra o TikTok e o WeChat da China

0
GREG BAKER/AFP/Getty Images / Divulgação.

Dados coletados através dos aplicativos vão para o Partido Comunista Chinês

O consultor comercial da Casa Branca, Peter Navarro, disse no domingo (12) que os Estados Unidos tomarão “ações fortes” contra o serviço de mensagens WeChat, bem como a controversa plataforma de mídia social de compartilhamento de vídeo TikTok, ambas provenientes da China.

“[TikTok] e WeChat são as maiores formas de censura no continente chinês e, portanto, esperam ações fortes sobre isso”, disse Navarro em entrevista à Fox Business no domingo.

“O que o povo americano tem que entender é que todos os dados que vão para aqueles aplicativos móveis com os quais as crianças se divertem tanto e parecem tão convenientes, vão direto para servidores na China, direto para os militares chineses, para o partido comunista chinês e para as agências que querem roubar nossa propriedade intelectual”, acrescentou Navarro.

WeChat é uma ferramenta de comunicação usada principalmente pelos chineses, incluindo os do Ocidente, mas é conhecida por censurar conteúdo.

Talvez o exemplo mais ultrajante de conteúdo censurado no WeChat tenha ocorrido no ano passado, quando informações médicas postadas no aplicativo pelo Dr. Li Wenliang, médico de Wuhan, foram censuradas.

Li, que foi um dos primeiros médicos a identificar e diagnosticar o vírus chinês, compartilhou dicas com outros médicos no WeChat sobre como evitar a propagação de doenças contagiosas. O WeChat rapidamente censurou suas dicas, embora ele as compartilhasse apenas com outros médicos e não com o público – e deteve Li, forçando-o a emitir um humilhante pedido de desculpas ao público.

Li morreu em fevereiro em decorrência do coronavírus aos 34 anos, em Wuhan.

Os comentários de Navarro sobre a restrição do WeChat chegam logo após o presidente Donald Trump e o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, confirmarem que os Estados Unidos estão pensando em proibir o TikTok.

“Trabalhamos nesta mesma questão há muito tempo”, disse Pompeo. “Se foram os problemas de ter a tecnologia Huawei em sua infra-estrutura, nós viajamos por todo o mundo e estamos fazendo um progresso real para tirar isso”.

“Declaramos que a ZTE – uma empresa de telecomunicações que fabrica e presta serviços em soluções de rede e dispositivos móveis mundialmente com sede em Shenzhen, China – é um perigo para a segurança nacional americana”, acrescentou o Secretário de Estado.

Huawei e ZTE foram recentemente designadas ameaças à segurança nacional pela Comissão Federal de Comunicações (FCC) . “Não podemos e não permitiremos que o Partido Comunista Chinês explore vulnerabilidades de rede e comprometa nossa infra-estrutura crítica de comunicações”, disse Pai.

Fonte: Breitbart.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui