Cuba é abalada por manifestações inéditas contra o governo

0
AFP.

Pela primeira vez em 30 anos: protestos anticomunismo em Cuba

Uma série de manifestações sem precedentes com gritos de “Liberdade!” e “Abaixo a ditadura!” estourou em Cuba neste domingo (11), enquanto o país atravessa sua pior crise econômica em 30 anos. Alguns ativistas classificaram-no como o maior protesto popular espontâneo desde que Fidel Castro chegou ao poder em 1959, com manifestantes denunciando abertamente o regime de Miguel Diaz-Canel.

Os protestos, amplamente divulgados nas redes sociais, começaram de forma espontânea pela manhã, um fato incomum neste país governado pelo Partido Comunista (único), onde as únicas concentrações autorizadas costumam ser as do partido.

Gritando principalmente “Pátria e vida”, título de uma canção polêmica, mas também “Abaixo a ditadura!” e “Não temos medo”, milhares de manifestantes marcharam pelas ruas de San Antonio de los Baños, uma pequena cidade de 50 mil habitantes a cerca de 30 km da capital Havana.

Os protestos foram claramente contra o regime comunista, como evidenciado por extensas evidências postadas no Twitter ( aqui , aqui e aqui, por exemplo).

“Libertade”, entoavam outras centenas em Malecón, na costa de Havana.

Um impressionante destacamento militar e policial foi enviado a San Antonio de los Baños durante o dia, confirmaram jornalistas da AFP.

O presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, também se dirigiu à cidade acompanhado de militantes do partido, que desfilaram gritando “Viva Cuba” e “Viva Fidel”, enquanto durante sua viagem os locais seguiam protestando ruidosamente contra a crise econômica.

– “Máfia cubano-americana” –

A pandemia de coronavírus, cujos primeiros casos na ilha foram detectados em março de 2020, mergulhou Cuba em sua pior crise econômica em três décadas.

Todos os dias, os cubanos têm que esperar longas horas em filas para conseguir alimentos e também enfrentam a escassez de medicamentos, o que tem gerado um forte mal-estar social.

Dificuldades econômicas também levaram as autoridades a aplicar cortes de eletricidade de várias horas por dia em grandes áreas do país.

A declaração do governo cubano ignorou completamente o objetivo da manifestação e descaradamente aproveitou a oportunidade para espalhar pânico sobre o coronavírus.

Com informações: Isto é e Freiewelt

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui