China adia divulgação de dados populacionais de 2020, enfrentando possível colapso populacional

0
fonte: Ed Jones / AFP / Getty Images).

“O colapso populacional no continente chegou”

Por Alex Wu

O Escritório Nacional de Estatísticas do Partido Comunista da China declarou em uma entrevista coletiva, em 18 de janeiro, que adiaria a divulgação dos dados de nascimento do país referentes a 2020. Mas de acordo com dados divulgados por alguns governos locais, a população do continente parece estar em declínio, e a uma taxa alarmante em algumas áreas onde os nascimentos caíram mais de 20%.

Liang Jianzhang, o fundador do principal site de viagens da China, Ctrip.com, e professor da Escola de Administração Guanghua da Universidade de Pequim, alertou em um artigo de opinião de 1º de fevereiro publicado na principal publicação de negócios da China, Caixin, que o colapso populacional no continente chegou.

Ele disse que como a taxa de natalidade da China não pode ser aumentada substancialmente, o declínio da população do país não vai parar.

De acordo com Liang, a população da cidade de Guangzhou viu aproximadamente 195.500 nascimentos no ano passado, uma diminuição de 9% em relação a 2019; A cidade de Wenzhou viu aproximadamente 73.230 nascimentos, uma redução de 19,01% em relação ao ano anterior; A cidade de Hefei teve uma queda de 23% em comparação com 2019; e a quantidade de nascimentos na cidade de Taizhou diminuiu 32,6%. Nenhuma jurisdição ainda relatou um aumento na taxa de natalidade.

Para colocar isso em contexto, nos primeiros três trimestres de 2020, a taxa de natalidade nos Estados Unidos caiu aproximadamente 5%, de acordo com dados preliminares dos Centros de Controle de Doenças dos EUA. Um relatório do Instituto Brookings descobriu que, durante a epidemia de gripe espanhola, as taxas de natalidade nos Estados Unidos caíram 12,5%.

O número de nascimentos em Guangzhou em 2020 foi o mais baixo em 10 anos, e Wenzhou viu sua menor taxa de natalidade nos últimos 6 anos.

O PCC introduziu pela primeira vez a ideia de uma política de controle de natalidade em 1955, e implementou sua “política do filho único” em 1979. No entanto, desde 2013, ele tem afrouxado a política, dizendo que “se um dos pais for filho único , eles podem ter dois filhos”. Em 2016, revisou para dois o número de crianças permitidas por lei.

No entanto, dados públicos mostram que a população da China tem diminuído de 2016 a 2020 – a população de recém-nascidos em 2016 era de 17,86 milhões, mas de 2017 a 2020, os nascimentos caíram para aproximadamente 17,23 milhões, 15,23 milhões, 14,65 milhões e 13,80 milhões, respectivamente.

A menor taxa de natalidade oficial da China foi em 1961, no final da Grande Fome, quando apenas 11,8 milhões de bebês nasceram.

Fonte: Epoch Times

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui