Censura: Twitter bane mais de 70.000 contas desde sexta-feira (8)

0

Segundo a empresa essas contas estavam envolvidas na propagação de conteúdo prejudicial e da teoria da conspiração QAnon

Em um comunicado divulgado na segunda-feira (11), o Twitter afirmou que “desde sexta-feira, mais de 70.000 contas foram suspensas”. A empresa alega que “essas contas estavam envolvidas no compartilhamento em grande escala de conteúdo prejudicial” e eram principalmente dedicadas à propagação da teoria da conspiração QAnon em todo o serviço.

O Twitter também anunciou que está “aumentando agressivamente seu esforço” contra as alegações de que a eleição de 2020 foi roubada, suprimindo palavras-chave e termos e limitando o engajamento de “tweets violadores de suas regras”.

A nova política de integridade cívica do Twitter diz em parte:

“Rotularemos ou removeremos informações falsas ou enganosas destinadas a minar a confiança do público em uma eleição ou outro processo cívico. Isso inclui, mas não está limitado a:

– reivindicações contestadas que podem minar a crença no próprio processo, como informações não verificadas sobre fraude eleitoral, adulteração de cédulas, contagem de votos ou certificação de resultados eleitorais; e

– alegações enganosas sobre os resultados ou resultado de um processo cívico que exige ou pode levar à interferência na implementação dos resultados do processo, por ex. alegar vitória antes que os resultados das eleições tenham sido certificados, incitando conduta ilegal para impedir a implementação processual ou prática dos resultados das eleições (observe que nossa política de ameaças violentas também pode ser relevante para ameaças não cobertas por esta política).”

“Em última análise, repetidas violações desta política podem resultar em suspensão permanente”, diz a declaração.

A liberdade de expressão está em apuros no mundo ocidental

Pouco depois que o Twitter e Facebook passaram a banir perfis conservadores e a censurar conteúdos politicamente incorretos, a Amazon Web Services optou por interromper a hospedagem do Parler, mídia social utilizada amplamente por conservadores de todo mundo, na noite de domingo (10).

Com informações: Conexão Política

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui