Bolsonaro estuda retirar Brasil da OMS caso mantenha seu atual ‘viés ideológico’

0
(Foto: Alan Santos/PR)

“Ou a OMS trabalha sem viés ideológico ou vamos nos retirar também”

O presidente Jair Bolsonaro ameaçou retirar o Brasil da Organização Mundial da Saúde (OMS), seguindo o exemplo de Donald Trump, caso o organismo mantenha seu atual “viés ideológico” na estratégia de combate à pandemia do novo coronavírus.

O líder conservador fez a declaração perante um grupo de seguidores em frente ao Palácio da Alvorada, a residência oficial da Presidência do Brasil em Brasília, quando questionado sobre a alegação da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) pelos 24,2 milhões de dólares que o Brasil deve a ele.

“Eu te adianto aqui: os Estados Unidos abandonaram a OMS e estudamos para fazê-lo no futuro. Ou a OMS trabalha sem viés ideológico ou vamos nos retirar também”, afirmou o presidente brasileiro sem detalhar o tipo de comportamento político ou ideológico que ele atribui à organização internacional.

Bolsonaro se posicionou contra as recomendações da OMS de que os países impõem quarentenas estritas ou outras medidas de distanciamento social para retardar o progresso da pandemia.

Bolsonaro e Trump são defensores do uso da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com coronavírus.

“Não precisamos de pessoas de fora nos dando pistas sobre saúde aqui”, disse o presidente do Brasil, o país é o terceiro no mundo com mais mortes oficialmente reportadas pelo COVID-19, com cerca de 34.000 vítimas, e o segundo com mais casos, com pelo menos 614.000 infecções.

Trump anunciou a retirada dos Estados Unidos da OMS no dia 29 de abril. Ele acusou a organização de não ter implementado as reformas recomendadas por seu governo e garantiu que os recursos com os quais o financiava serão distribuídos entre outras entidades de saúde no mundo.

“A China tem controle total sobre a OMS, apesar de contribuir apenas com US$ 40 milhões por ano, em comparação com os US$ 450 milhões que os Estados Unidos pagam”, disse o presidente dos EUA na época.

Segundo Bolsonaro, quando Trump anunciou que retiraria a contribuição dos Estados Unidos, a OMS recuou em tudo.

Com informações do Epochtimes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui