Bolsonaro compara medidas de isolamento com crise na Venezuela

0
Patients suffering from the coronavirus disease (COVID-19) are treated at a field hospital set up at a sports gym, in Santo Andre, Sao Paulo state, Brazil, May 6, 2020. Picture taken May 6, 2020. REUTERS/Amanda Perobelli

Isolamento foi adotado em alguns estados para impedir o avanço do novo coronavírus

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, comparou neste domingo (10) as medidas de isolamento social adotadas pelos estados do Brasil, com a crise política, econômica e social que está ocorrendo na Venezuela. O isolamento foi adotado para impedir o avanço do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), mais conhecido como novo coronavírus.

Bolsonaro, contrário às quarentenas, publicou em suas redes sociais um vídeo de uma inspeção de policiais em um ônibus no estado do Maranhão, no nordeste e o primeiro estado do país a decretar o confinamento total da população.

Na gravação, um policial entra no ônibus, cheio de pessoas, apesar do “bloqueio”, e afirma que aqueles que não têm permissão oficial para sair durante o confinamento absoluto devem sair do veículo e voltar para casa.

“Assim, as pessoas estão sendo tratadas e governadas pelo PCdoB / MA (Partido Comunista do Brasil) e situações semelhantes em outros estados”, escreveu o presidente.

“O chefe de família deve ficar em casa com fome com a família. Milhões já sentem como é viver na Venezuela”, completou.

O governo de Bolsonaro é um dos mais críticos do ditador venezuelano, Nicolás Maduro, e reconheceu Juan Guaidó como presidente legítimo e interino da Venezuela desde o início do ano passado.

Mas nesta manhã o chefe de Estado compartilhou em suas redes um vídeo institucional intitulado “A verdade: COVID-19”, que começa com a afirmação de que “parte da imprensa insiste em dar as costas aos fatos, ao Brasil e aos brasileiros”.

Na matéria, revela uma compilação de manchetes sobre a gestão e a postura de Bolsonaro desde o início da crise de saúde causada pelo COVID-19 e, imediatamente, algumas das ações do governo federal para combater a propagação da doença , bem como declarações do próprio presidente e de alguns de seus ministros.

Fonte: Epoch Times

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui