Bill Gates aponta necessidade de uma terceira dose de vacina para combater variantes do coronavírus

0

Os comentários de Gates surgem em meio à crescente preocupação de que as vacinas atuais não sejam eficazes contra as variantes mais contagiosas

Com mais de 40 milhões de americanos tendo recebido pelo menos a primeira dose da vacina Pfizer ou Moderna, uma terceira dose pode ser necessária para prevenir a propagação de novas variantes da doença, disse Bill Gates à CBS News na terça-feira (16).

Os comentários de Gates surgem em meio à crescente preocupação de que as vacinas atuais não sejam eficazes contra as variantes mais contagiosas do Brasil e da África do Sul.

A Pfizer e a Moderna afirmaram que suas vacinas são 95% e 99% eficazes, respectivamente, contra a cepa inicial de COVID. No entanto, alguns cientistas questionaram essas declarações. Além disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e as empresas de vacinas admitiram que as vacinas não evitam que as pessoas sejam infectadas ou transmitam a COVID, mas são eficazes apenas na redução dos sintomas.

Gates disse ao CBS Evening News:

“A discussão agora é: precisamos apenas obter uma cobertura super alta da vacina atual, ou precisamos de uma terceira dose que seja igual ou precisamos de uma vacina modificada?”

As empresas de vacinas dos EUA estão procurando fazer modificações, que Gates chama de “ajuste”.

Pessoas que receberam duas injeções podem precisar de uma terceira injeção e pessoas que ainda não foram vacinadas precisam da vacina modificada, explicou Gates. Quando questionado se a vacina contra o coronavírus seria semelhante à vacina contra a gripe, que requer reforços anuais, Gates não descartou essa possibilidade. Até que o vírus seja erradicado de todos os humanos, disse Gates, podem ser necessárias injeções adicionais no futuro.

“A AstraZeneca em particular tem um desafio com a variante”, explicou Gates. “E os outros dois, Johnson & Johnson e Novavax, são um pouco menos eficazes, mas ainda eficazes o suficiente para que devêssemos retirá-los o mais rápido possível enquanto estudamos essa ideia de ajustar a vacina.”

A Fundação Bill & Melinda Gates está financiando os estudos que estão sendo conduzidos no Brasil e na África do Sul, disse a CBS News. A fundação também investiu nas vacinas AstraZeneca, Johnson & Johnson e Novavax, que estão sendo testadas contra novas variantes. Assim que a vacina AstraZeneca for aprovada, a Global Alliance for Vaccine Initiative ou GAVI, fundada por Gates, irá distribuí-la globalmente.

“Gates continua a mover as traves do gol”, disse Robert F. Kennedy, Jr, presidente e consultor jurídico-chefe da Children’s Health Defense. “Enquanto isso, as estratégias que ele e outros promoveram estão destruindo a economia global, demolindo a classe média, tornando os ricos mais ricos e censurando os defensores da segurança das vacinas, como eu .”

Kennedy disse que o foco exclusivo em vacinas impediu o tipo de progresso necessário para realmente enfrentar e se recuperar da pandemia:

“Desde o início da pandemia, pessoas lúcidas, familiarizadas com os desafios inerentes ao modelo de vacina, compreenderam que o caminho para sair da crise exigiria várias etapas. Essas etapas precisariam incluir o desenvolvimento e/ou identificação de drogas terapêuticas, o compartilhamento de informações entre médicos para aprimorar modelos de tratamento que reduzam as taxas de mortalidade por infecção abaixo das da gripe e o tipo de imunidade coletiva de amplo espectro de longo prazo que protege contra cepas mutantes e que só deriva de infecção natural.”

Em vez disso, Gates e os fabricantes de vacinas estão propondo uma vida inteira de reforços, apoiando testes insuficientes para determinar a segurança e falhando em abordar o monitoramento inadequado de lesões da vacina, disse Kennedy.

Fonte: Life Site News

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui