Biden e Cuba – Modus Operandi da Esquerda: incoerência entre discurso e ação

0
Biden manifestações em cuba

Presidente americano pede que Cuba atenda aos pedidos do povo ao passo que ameaça deportar pessoas que fogem do comunismo

No último domingo (11), manifestantes foram às ruas de Cuba para exigir a queda da ditadura comunista que vigora no país desde o fim da Revolução Cubana em 1959, liderada pelos guerrilheiros e assassinos Che Guevara e Fidel Castro. Biden comentou sobre os protestos

O discurso do governo Biden

Em um comunicado emitido no dia 12, segunda-feira, Biden elogiou os protestos ocorridos na ilha ao dizer que “o povo cubano está bravamente protestando por direitos fundamentais e universais. Esses direitos, incluindo o direito a protestar pacificamente e o direito a determinar livremente seu próprio futuro, deve ser respeitado”. Além disso, o presidente também pediu para que o governo de Cuba atenda às necessidades do seu povo. “Os EUA pedem ao regime cubano que, em vez de enriquecerem, escute o povo e atenda às suas necessidades”.

A ação do governo Biden

Um dia após o comunicado, portanto, terça-feira (13), Alejandro Mayorkas, Secretário do Departamento de Segurança Interna do governo Biden, ameaçou deportar os cubanos que tentassem fugir do julgo da ditatura comunista da ilha.

O secretário afirmou: “não arrisquem suas vida ao tentar entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Vocês não virão para os Estados Unidos”.

Segundo Mayorkas, o governo reforçou a vigilância da Guarda Costeira no estreito ente a Flórida e Cuba, e voltou a dizer que: “Qualquer migrante interceptado no mar, independentemente de sua nacionalidade, não terá permissão para entrar nos Estados Unidos”.

Comentário

Ao passo que Joe Biden, com suas palavras, elogia os manifestantes em Cuba, ameaça deportá-los com a sua política anti-imigração, amplamente criticada por ele próprio durante as eleições – não se espante com a aparente contradição.

Não! Biden não é bipolar e nem sofre com transtorno de personalidade. Sofre, porém, de uma doença muito pior e que já está em estado crônico; sofre de esquerdite, altamente nociva para a saúde de um país e população.

Biden não é incoerente ao cobrar que Cuba “atenda às necessidades de seu povo”, na medida em que ele próprio fecha as portas de seu país para refugiados que tentam se salvar do regime cubano. Da mesma forma que ele não é incoerente por ter atacado o muro do Trump, durante as eleições, com um discurso de “liberdade”, quando agora usa como muro a Guarda Costeira para barrar que as pessoas entrem em seu país. Biden não é incoerente. Pelo contrário, segue à risca a cartilha da esquerda que prega uma coisa e entrega o seu extremo oposto. Se prometeu liberdade, entrega prisão. Se prometeu vida, entrega a morte.

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui