Aluno vacinado infecta dezenas de pessoas em Israel

0

A cadeia de infecção é a grande preocupação para as autoridades

Um surto de coronavírus entre jovens em idade escolar após uma festa em Tel Aviv preocupa as autoridades de saúde de Israel. Conforme relata a emissora de TV Canal 12, pelo menos 83 jovens contraíram o vírus na festa – todos com o mesmo colega de classe. O principal motivo de preocupação no caso é a cadeia de infecção que gerou o surto: um jovem vacinado.

Segundo o Times of Israel, o jovem vacinado que distribuiu o vírus na festa foi infectado por um parente que também havia sido vacinado e esse parente havia sido infectado por uma pessoa que também foi vacinada e que esteve recentemente em Londres. Ainda não está claro qual variante do vírus os infectou.  Mais recentemente, a variante delta acelerou o processo de infecção em Israel.

Israel: Novas infecções aumentam em 1000 por cento

Com 2.455 casos ativos de infecção no domingo (4), o número era tão alto quanto no início de abril, e o Ministério da Saúde espera 500 a 600 novas infecções por dia na próxima semana. Como calcula a emissora israelense i24 News, houve um aumento de 1.000 por cento em novas infecções nas últimas duas semanas.

Nesse ínterim, o número de pacientes com coronavírus em hospitais também está subindo rapidamente novamente. De acordo com o Times of Israel, apenas uma pessoa morreu de ou com a coronavírus  em Israel nas últimas três semanas.

O governo de Israel está novamente considerando medidas mais rígidas

No entanto, apesar do alto número de vacinações contra o coronavírus, o governo agora quer apertar as medidas corona novamente. O primeiro-ministro Naftali Bennett pediu às pessoas no domingo que usem máscaras novamente em ambientes fechados e evitem se reunir. Se mais pessoas ficarem gravemente doentes novamente, o governo quer restringir o acesso a restaurantes e eventos para pessoas não vacinadas novamente.

“As pessoas vacinadas também podem ser infectadas e muitas crianças e jovens ainda não foram vacinados”, disse o ministro da Saúde, Chezy Levy. “Devemos nos preocupar e ver como podemos conter a situação antes que saia do controle.”

Com informações: www.morgenpost.de

Você gostou do conteúdo? Apoie o jornalismo independente!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui