A Alemanha está furiosa com Putin, enquanto “a Rússia realiza assassinato nas ruas de Berlim”

0
Foto: Christina Rizk/EPA

Se suspeita que um russo tenha assassinado um georgiano

Promotores federais alemães disseram, nesta quinta-feira (18), ter reunido evidências suficientes para suspeitar que um cidadão russo havia assassinado um georgiano, um ex-rebelde checheno, em Berlim, no verão passado, e acrescentaram que o assassinato foi ordenado pelas autoridades russas.

O suposto assassino russo, identificado apenas como Vadim K., é acusado de assassinato e posse ilegal de uma arma, disseram os promotores federais em comunicado. As alegações chocantes resultaram na embaixada russa em Berlim informando que seu embaixador foi convocado pelo Ministério das Relações Exteriores da Alemanha.

A revelação sobre o assassinato ocorre em um momento de maior tensão entre a Rússia e a Alemanha.

Angela Merkel está pressionando a União Européia a estender as sanções ao Kremlin por causa da crise na Ucrânia e uma enorme briga estourou devido à desinformação de Moscou sobre o coronavírus.

O Kremlin na quinta-feira descreveu como “absurdas” as acusações da Grã-Bretanha de que a Rússia, juntamente com a China e o Irã, estava procurando explorar as oportunidades criadas pelo coronavírus.

“Nós discordamos categoricamente de tais declarações”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. “No que diz respeito à desinformação, consideramos tais acusações absurdas”.

A Alemanha espera que os líderes da União Européia esta semana preparem o caminho para uma prorrogação das sanções da UE contra a Rússia por seu envolvimento na crise da Ucrânia, disse na quinta-feira um alto funcionário do governo.

A cúpula virtual da UE na sexta-feira provavelmente selará o acordo político para uma medida que seria implementada pelos ministros das Relações Exteriores da UE ainda este mês, acrescentou o funcionário.

O governo alemão leva muito a sério a declaração dos promotores federais de que o assassinato de um georgiano em Berlim no último verão foi ordenado pelas autoridades russas, disse um porta-voz hoje.

O porta-voz revelou que o governo alemão havia expulsado dois membros da embaixada russa em dezembro de 2019 em conexão com o caso e acrescentou que o governo alemão havia começado a tomar medidas contra a Rússia recentemente em conexão com um ataque de hackers no parlamento alemão também.

Ele acrescentou: “O governo alemão se reserva o direito de tomar outras medidas”.

O assassinato ocorreu em Berlim, no verão passado

O assassinato aconteceu no distrito de Moabit em 23 de agosto de 109.

A vítima foi identificada pela mídia como Zelimkhan Khangoshvili.

O assassino tinha se aproximado de sua vítima por trás, quando estava a caminho de uma mesquita, atirou nele e fugiu de bicicleta. Uma testemunha descreveu o fato  como um assassinato ao estilo de “execução”.

Fonte: www.express.co.uk

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui