A administração Biden decide re-financiar a OMS

0
SHUTTERSTOCK/Divulgação.

O governo Trump havia cortado os laços com a organização, em maio de 2020, devido a má administração e encobrimento da disseminação do coronavírus

O governo Biden acaba de enviar US$ 200 milhões para a Organização Mundial da Saúde (OMS), revertendo a decisão do governo Trump de cortar os laços com a organização, em maio de 2020, devido a má administração e encobrimento da disseminação do coronavírus.

O Secretário de Estado de Biden, Anthony Blinken, justificou o resgate financeiro como uma forma de “assegurar que a OMS tenha o apoio necessário para liderar a resposta à pandemia, mesmo quando trabalhamos para reformá-la no futuro”.

Muito tem sido escrito sobre a visita altamente divulgada da OMS a Wuhan, realizada fevereiro. No verão passado, porém, uma equipe da OMS havia se encontrado secretamente com autoridades chinesas. De acordo com um documento interno que vazou, a equipe de 10 membros considerou as autoridades chinesas inúteis e pouco dispostas a investigar as origens do coronavírus. 

A equipe da OMS relatou na época: “Após extensas discussões e apresentações de contrapartes chinesas, parece que pouco foi feito em termos de investigações epidemiológicas em Wuhan desde janeiro de 2020. Os dados apresentados oralmente forneceram poucos detalhes a mais do que os apresentados em reuniões do comitê de emergência em janeiro de 2020. Nenhuma apresentação em PowerPoint foi feita e nenhum documento foi compartilhado”.

O tom crítico deste documento interno não foi, entretanto, refletido nas declarações públicas da OMS. Invariavelmente, eles descreveram o governo chinês como cooperativo e ativamente engajado nas investigações em andamento na China. 

Nenhuma dessas afirmações é verdadeira.

A falta de cooperação continua até os dias de hoje. Quando a delegação da OMS finalmente foi autorizada a visitar Wuhan em janeiro, as autoridades chinesas colocaram seus membros em quarentena por duas semanas inteiras. Durante os 10 dias restantes no país, eles foram cuidadosamente acompanhados. Eles não apenas tiveram permissão para uma curta visita ao Instituto de Virologia de Wuhan, mas também tiveram acesso negado aos registros de pesquisa ou entrevistas com seus pesquisadores ou equipe. O lado chinês apresentou algumas “análises” aos investigadores da OMS que alegaram que o coronavírus se originou na natureza, mas se recusou a entregar os valiosos dados brutos e amostras que poderiam ser usadas para verificar isso.

Alguns membros da delegação reclamaram, afirmando que sem acesso aos dados brutos simplesmente não havia como julgar a exatidão das alegações chinesas, mas a OMS como um todo se declarou satisfeita.

Isso fez com que vários cientistas conhecidos fizessem fortes críticas à investigação da OMS, um deles chamando-a de nada mais do que uma “farsa” por encobrir a responsabilidade chinesa pelo vírus de Wuhan.

Um das evidências de que a OMS estava recebendo ordens de Pequim, é a evidente frieza com que tratou Taiwan. A nação-ilha enviou vários avisos à organização sobre a praga que estava se formando no continente e, no início, fechou suas fronteiras para o tráfego de Wuhan, mas foi ignorada. 

“Em dezembro, a OMS se recusou a agir ou divulgar o alerta de Taiwan de que a nova infecção respiratória emergente na China poderia passar de humano para humano”, escreveu mais tarde o senador dos Estados Unidos Marco Rubio, R-Flórida. “Em meados de janeiro, apesar do acúmulo de evidências de pacientes que contraíram o que hoje conhecemos como COVID-19 de outras pessoas, a organização repetiu a mentira (do Partido Comunista Chinês) de que não havia evidências de transmissão de pessoa para pessoa. Em janeiro, a OMS, a pedido de Pequim, também impediu Taiwan de participar de reuniões críticas para coordenar as respostas ao coronavírus e até mesmo forneceu informações erradas sobre a disseminação do vírus em Taiwan”.

O governo Biden admite que tem “profundas preocupações” sobre a investigação da OMS sobre a pandemia, particularmente a interferência de Pequim na investigação sobre suas origens, mas, mesmo assim, voltou a abrir a torneira de financiamento.

Com informações: Life Site News

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui