24 líderes mundiais anunciam tratado internacional de pandemia para implementar a agenda do Great Reset

0
Shutterstock.

Os signatários incluem o chefe da Organização Mundial da Saúde, bem como os líderes da França, Alemanha, Reino Unido e outros países

Uma série de líderes globais lançou um apelo para um tratado pandêmico global, a fim de supostamente de prevenir futuras pandemias, distribuir vacinas e implementar uma abordagem unilateral de governança mundial.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, o presidente francês Emmanuel Macron, a chanceler alemã Angela Merkel, o chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), bem como 20 outros líderes mundiais, uniram forças para redigir uma carta conjunta com a aparente intenção de ganhar o apoio popular para o plano globalista.

Escrevendo no jornal britânico The Telegraph, bem como em outras publicações como o Le Monde, na França, os líderes declararam sua intenção de “construir uma arquitetura internacional de saúde mais robusta que protegerá as gerações futuras”.

Chamando a COVID-19 de “o maior desafio para a comunidade global desde a década de 1940”, os 24 líderes previram que “haverá outras pandemias e outras grandes emergências de saúde”.

“Nenhum governo ou agência multilateral pode enfrentar esta ameaça sozinho”, declararam. “A questão não é se, mas quando. Juntos, devemos estar mais bem preparados para prever, prevenir, detectar, avaliar e responder com eficácia às pandemias de uma forma altamente coordenada. A pandemia Covid-19 tem sido um lembrete gritante e doloroso de que ninguém está seguro até que todos estejam protegidos.”

Esta frase final pode indicar a influência que o fundador do Fórum Econômico Mundial (WEF), o globalista Klaus Schwab, exerce sobre os 24 líderes. Há apenas algumas semanas, Schwab declarou: “Enquanto nem todos forem vacinados, ninguém estará seguro”, uma declaração que por si só levanta uma questão interessante sobre a confiança que esses líderes estão depositando em suas tão elogiadas, mas perigosas, injeções experimentais.

Os líderes reafirmaram seu objetivo conjunto de vacinação global, descrevendo-o como “bem público global”.

A fim de alcançar esse “bem público” e garantir a rápida distribuição de vacinas em todo o mundo, os 24 globalistas iniciaram seu novo tratado internacional: “Acreditamos que as nações devem trabalhar em conjunto para um novo tratado internacional de preparação e resposta a pandemias. Um tal compromisso coletivo renovado seria um marco na intensificação da preparação para pandemias no mais alto nível político”.

Este tratado seria baseado nos princípios da OMS, extraídos da constituição da OMS, bem como no apelo a “outras organizações relevantes chave para este esforço”. O diretor-geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, foi um dos signatários da declaração.

“O principal objetivo deste tratado seria fomentar uma abordagem de todo o governo e de toda a sociedade, fortalecendo as capacidades nacionais, regionais e globais e a resistência a futuras pandemias”, declararam os líderes.

Declarando que o coronavírus, originário de Wuhan, China, tinha “explorado as nossas fraquezas e divisões”, os líderes afirmaram ser sua “responsabilidade” “assegurar que o mundo aprenda as lições da pandemia da Covid-19”, e “aproveite esta oportunidade e se reúna como uma comunidade global para uma cooperação pacífica que se estenda para além desta crise”.

A proposta deverá ser mais bem discutida entre os líderes nacionais na cúpula do G7 em junho na Cornualha, no Reino Unido, onde Boris Johnson se juntará a seus colegas do Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Estados Unidos e UE. Enquanto isso, os 24 os signatários advertiram que seu novo plano “levará tempo e exigirá um compromisso político, financeiro e social sustentado por muitos anos”.

O tratado planejado parece se alinhar intimamente com os objetivos da Grande Reinicialização de Klaus Schwab. A promoção do Grande Reset pelo Fórum Econômico Mundial até emprega terminologia correspondente, descrevendo “líderes” que “se encontram em uma encruzilhada histórica”.

A perturbação social causada pelo vírus Wuhan apresenta “uma janela única de oportunidade para moldar a recuperação” para Schwab, que acrescentou que “esta iniciativa oferecerá insights para ajudar a informar todos aqueles que determinam o estado futuro das relações globais, a direção das economias nacionais, as prioridades das sociedades, a natureza dos modelos de negócios e a gestão de bens comuns globais.”

De fato, a ligação entre o novo tratado internacional e o Grande Reset fez com que o apresentador veterano Richie Allen escrevesse : “Isto é aterrador. Durante muitos anos, tenho apresentado escritores, pesquisadores e acadêmicos que nos alertaram que isto iria acontecer. Este é o jogo final. ”

Esse tratado trata simplesmente de “concentrar o poder nas mãos de uma pequena elite”, explicou Allen. “É para isso que os globalistas vêm trabalhando há décadas”.

A lista completa de signatários pode ser encontrada abaixo:

JV Bainimarama, primeiro-ministro de Fiji; António Luís Santos da Costa, primeiro-ministro de Portugal; Klaus Iohannis, presidente da Romênia; Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido; Paul Kagame, presidente de Ruanda; Uhuru Kenyatta, presidente do Quênia; Emmanuel Macron, presidente da França; Angela Merkel, chanceler da Alemanha; Charles Michel, presidente do Conselho Europeu; Kyriakos Mitsotakis, primeiro-ministro da Grécia; Moon Jae-in, presidente da República da Coréia; Sebastián Piñera, presidente do Chile; Carlos Alvarado Quesada, presidente da Costa Rica; Edi Rama, primeiro-ministro da Albânia; Cyril Ramaphosa, presidente da África do Sul; Keith Rowley, primeiro-ministro de Trinidad e Tobago; Mark Rutte, primeiro-ministro da Holanda; Kais Saied, presidente da Tunísia; Macky Sall, presidente do Senegal; Pedro Sánchez, primeiro ministro da Espanha; Erna Solberg, primeira-ministra da Noruega; Aleksandar Vučić, presidente da Sérvia; Joko Widodo, presidente da Indonésia; Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia; Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde.

Fonte: Life Site News

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor registre seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui